Como o ano de 2000 era imaginado em 1910

Um artista francês chamado Villemard produziu no ano de 1910 uma série de ilustrações imaginando como seria a vida em 2000. As ilustrações foram encontradas no na biblioteca nacional da França, e acredita-se que elas eram uma espécie de figurinhas colecionáveis que vinham em alimentos.

Os barcos voariam. Uma espécie de avião bem imbecil.

Essas moças estão usando patins motorizados.

Uma pessoa passa uma imagem que é enviada de outro lugar. bem parecido com o Skype.

Um aluno coloca livros em uma máquina de moer, e pelo jeito, as informações são transformadas em sinais elétricos que vão para a mente dos alunos.

Uma incrível máquina que faz uma peça de roupa por vez.

Carros de guerra em conflito.

O nome dessa imagem é "curiosidade". Acreditava-se nessa época que a maioria dos animais estariam extintos no ano 2000. As pessoas admiram um cavalo, que na cabeça do artista, seria raro hoje em dia.

Segundo a ilustração, é um trem elétrico que liga Paria à Beijing.

Um helicóptero sendo detectado por uma torre de comando.

Uma patrulha e suas bicicletas armadas.

As pessoas poderiam no ano 2000 ouvir o seu jornal favorito. Já pensou?

Um policial voador para um avião que está cometendo alguma infração de trânsito aéreo.

Um banheiro com vários mecanismos, alavancas e engrenagens. A eletrônica era inimaginável nesse mundo mecânico.

Um arquiteto seria o responsável por uma obra inteira, apenas controlando botões. Um dos botões ativa um auto-falante que solta cantadas para as gostosas que passam na rua.

Esse post foi visto originalmente no blog do He Man.

Anúncios

Generosidade é a melhor forma de comunicação

Um comercial produzido na Tailândia, publicado no YouTube na última quinta-feira (11), está comovendo internautas do mundo inteiro. O vídeo conta a história do dono de um restaurante que sempre ajudou ao próximo e acredita no real sentido da generosidade.

Quando o personagem principal do comercial fica doente, um desfecho inesperado mostra como pequenos gestos no dia a dia podem mudar vidas. A propaganda é da operadora de telefonia True Move e tem como slogan a frase: “Generosidade é a melhor forma de comunicação”.

Em uma semana o vídeo original (com legendas em inglês) já alcançou superou a marca de sete milhões de acessos. Confira:

#ComoFala

Há pouco mais de duas semanas, o redator publicitário paranaense Gustavo Asth colocou no ar despretensiosamente um Tumblr para atualizar nas horas vagas. O projeto, no qual posta logotipos de marcas estrangeiras escritos do modo que as pessoas falam, foi batizado de #ComoFala.
Desde então, e após colecionar compartilhamentos espontâneos e reportagens na mídia, o site já ultrapassou a fronteira dos 100 mil acessos e se tornou um sucesso no Facebook. Algumas marcas entraram na brincadeira e procuraram o idealizador, pedindo para aparecer nos posts, relata Asth, ressaltando ainda que a reação foi positiva.

"Nenhuma delas reclamou, felizmente", explica.

Com o sucesso, ele agora conta com a ajuda de um diretor de arte, o amigo Pedro Falcão, para fazer os layouts. "A tipografia é uma das principais preocupações, porque dá credibilidade". O criador admite que ainda não pensou em monetizar o projeto. "O plano é continuar criando as marcas enquanto houverem idéias bacanas. Recebemos muitas sugestões e anotamos todas elas”, explica.

Veja nas imagens a seguir novas atualizações do projeto.

Schweppes versão #ComoFala

Budweiser versão #ComoFala

Yahoo versão #ComoFala

Wallmart versão #ComoFala

Stella Artois versão #ComoFala

Michelan versão #ComoFala

Hall versão #ComoFala

Flickr versão #ComoFala

Bacana, não é? comente dizendo qual logo você gostaria de ver aqui.

Macaquices

banana-e-macaco.jpg

Macaco velho não põe a mão em cumbuca. Sabe por quê? Porque a boca da cumbuca é pequena e, se o macaco meter a mão ali para pegar as bananas que um esperto qualquer colocou nela, não conseguirá mais tirá-la. Fechada como está, não cabe mais pela abertura. A partir daí o macaco é escravo das bananas ou, mais exatamente, do dono delas – e o trágico disso é que ele enfiou a mão ali porque quis. Ele próprio se escravizou. Assim, o dono das bananas passa a ser o deus do macaco, que comanda sua vida e a quem ele presta tributo. Mas às vezes acontece de um macaco largar as bananas e conseguir fugir. E macaco velho que já passou por isso nem chega mais perto da cumbuca. Tão bobo ele também não é.

Mudando de assunto: todos pelo menos já ouvimos falar nos famosos “Dez Mandamentos”. Gostaria aqui de lembrar o primeiro deles. Diz assim:

“Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão. Não terás outros deuses além de mim.” ¹

A primeira impressão que se pode ter ao ler esse mandamento é de um Deus ciumento que tem medo de ser passado para trás. Mas, na verdade, o que ele diz é o seguinte: “Eu já sou o seu Deus e já provei isso, libertando você da escravidão: você não precisa de outro”.

Voltando ao assunto, Deus não quer que você ponha a mão em cumbuca, nem figuradamente. Como fez aquele moço rico que foi perguntar a Jesus como alcançar a vida eterna. Depois de uma pequena sondagem, ficou claro que ele estava com a mão na cumbuca, e dentro dela estava algo que hoje seria um gordo extrato bancário. “Macaco, largue as bananas”, era o que Jesus poderia ter dito a ele, mas o moço não era brasileiro de hoje para entender esse ditado, e muito menos macaco. Por isso Jesus foi direto e disse:

“Vá, venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois venha e siga-me.” ²

Mas o moço não foi capaz de abrir a mão, e a história termina dizendo que ele foi embora triste. Quis manter o controle e não percebeu que não controlava nada: estava sendo controlado – pela conta bancária.

É por isso que o Deus verdadeiro, nosso Criador, nos chama para si, com exclusão de qualquer outro – inclusive da conta bancária, da carreira, do hobby, enfim, você sabe do quê.

“Onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade,” ³

afirmou o Apóstolo Paulo, que falava por experiência.

Abra a mão e tire-a da cumbuca, que tudo aquilo que você anda segurando e achando tão importante não passa de um deus-banana. Faz tempo que Deus está esperando por você, o único capaz de dar liberdade e vida eterna.

Referências da Bíblia: ¹ Êxodo 20.1,2; ² Marcos 10.21; ³ II Coríntios 3.17