20 dicas para melhorar as fotos no seu celular

por Augusto Campos Efetividade.net

Que tal na próxima viagem ou festa de Natal da família tirar no seu celular fotos que agradarão mais que as daquele tio falador que em 2007 comprou uma câmera de 4000 dólares e acha que por isso virou profissional e não muda mais de assunto?

Infelizmente os tios faladores que acham que para registrar a alegria do momento precisam poder falar incansavelmente de detalhes técnicos da câmera, como se a ferramenta fosse a parte que garante o resultado, estão longe da extinção.

Mas se você passar as dicas abaixo para os seus primos e boa parte deles conseguirem tirar com câmeras simples fotos melhores do que as do tio mala, talvez na próxima festa em família ele reduza um pouco o discurso ツ

Novos tempos

No tempo das câmeras com filme, em que a foto casual era uma chance única cujo resultado só seria visto dias ou semanas depois, ninguém se permitia arriscar muito na criatividade, e gerações foram ensinadas a centralizar tudo, ligar o flash e garantir que tanto o pé quanto a cabeça de todo mundo estivessem no visor.

Hoje o problema das fotos casuais é quase o contrário: câmeras “inteligentes” que ajustam sozinhas o foco, a iluminação e até o momento do click (com “detector de face”, “detector de sorriso” e outros recursos similares) e aí a sua tia tira fotos pasteurizadas e sem vida.

Na prática, a melhor câmera é aquela que estiver com você no momento em que surge a oportunidade de uma foto. E se você estiver bem preparado e conhecer as capacidades e limitações da sua câmera, pode estar em melhores condições tirando uma foto com o seu celular, do que uma pessoa com uma câmera automática avançada mas pouca criatividade!

E preparar-se não significa virar um mestre em composição, enquadramento, iluminação e pós-produção. Basta aplicar o bom senso, um pouco de persistência e uma série de dicas simples que veremos a seguir.

Planejamento

  1. Conheça e aceite os limites da sua câmera. Algumas câmeras casuais não se prestam tão bem a tirar fotos em ambientes pouco iluminados, ou muito de longe, ou muito de perto, ou de objetos em movimento, etc. Experimente com sua câmera em situações similares às que você deseja fotografar, para saber como melhor tirar proveito dela quando a oportunidade real chegar!

  1. Pratique o uso do seu flash fora de casa: Ao tirar retratos fora de casa, dependendo das condições de iluminação, o rosto ficará sombreado. Dominar o uso do flash nessas condições exige alguma prática, mas praticar com fotos digitais custa pouco – convide alguém e pratique posicionamento (contra a luz, a favor da luz, na sombra, etc.) e distâncias até saber como se posicionar – e aí aplique o que aprendeu, quando chegar a hora certa (que não é o momento de inventar ou testar, pois a oportunidade de foto é efêmera). Às vezes a distância máxima para uso do flash ao ar livre não passa de 5 ou 6 passos, e se você tirar fotos com ele ligado a distâncias superiores a isso, o efeito será o oposto ao desejado: vai ficar tudo escuro.

  1. Tenha memória e bateria suficientes: a marca do fotógrafo mal-sucedido é o despreparo. Quem já não viu alguém num canto da festa apagando fotos da memória da câmera porque acabou o espaço, e reclamando porque está tendo de apagar fotos de que havia gostado? Quem nunca ouviu a clássica pergunta desesperada: “alguém tem pilha? a minha acabou! Alguém tem carregador?” Se você gosta de fotografar, comprar mais um ou dois cartões de memória para a sua câmera não é caro, e ter carregador ou baterias carregadas de reserva é essencial.

  1. Limpe a lente! Especialmente se você estiver usando uma câmera de celular sem proteção, lembre-se de limpá-la antes, usando o material indicado pelo fabricante – subitamente suas fotos ganharão mais nitidez ツ

Direção

  1. Seja o diretor, e não o operador de câmera: Se estiver tirando fotos de pessoas posando, não se omita: seu papel não é apenas apertar o botão. Vá além das clássicos ordens direcionais (“um passo pra trás”, “mais pra direita”). Procure o melhor fundo, a melhor iluminação, reagrupe-as, aproxime-as. Procure mostrar na foto a personalidade delas, tire diversas fotos para depois escolher as melhores. Mas não exagere, senão logo elas vão parar de colaborar!

  1. Aproveite a iluminação do ambiente: Exceto se você for um expert no uso do flash, o bom uso da luz do ambiente é essencial para as fotos casuais. Quando filtros, rebatimentos e outros recursos avançados não estão ao alcance, a regra básica é simples: o jeito fácil de os rostos das pessoas estarem visíveis é elas estarem de frente para a fonte de luz predominante no ambiente (torcendo para ela ser suave o bastante para não criar sombras estranhas), e o fotógrafo estar de costas para ela, senão pode acontecer como no exemplo da imagem acima. E isso vale especialmente para câmeras de celulares.

  1. Prefira um plano de fundo que seja uniforme: manter simples a composição facilita atingir fotos de qualidade mesmo com câmeras simples. O fundo não precisa ser liso (embora seja desejável em boa parte das situações casuais), mas idealmente deve ser contínuo. Tome cuidado especialmente com composições que façam parecer que um galho ou um poste “nascem” da cabeça de alguém retratado. Um fundo uniforme destaca o tema da sua foto.
  2. Conte a história toda: Se estiver fotografando um evento, como uma viagem ou uma festa, não se esqueça de contar a história toda: registre os preparativos, a partida, arrumações, chegada de convidados, retorno, etc. Tire muitas fotos, e depois escolha quais merecem ser guardadas. O registro ficará muito mais rico.

  1. Mantenha a câmera em alta resolução e sem zoom digital: Uma dica clássica, e completamente desnecessária se você seguiu a dica lá de cima sobre estar preparado, era configurar a câmera para usar baixas resoluções, permitindo assim guardar mais fotos na memória. Tenha bastante memória disponível, e aí não tenha medo de manter a configuração original de resolução – 5 megapixels ou mais, e nunca menos de 3 megapixels. Você sempre pode reduzi-las na hora de arquivá-las no micro, se desejar, mas mantê-las em alta resolução lhe dará a opção futura de imprimir com qualidade, até mesmo em formatos maiores. Quanto ao zoom digital: ele não acrescenta nada à sua foto, apenas retira. Se você não tiver zoom óptico (aquele que faz a lente se alongar e é especialmente raro em câmeras de smartphones, por exemplo), tire as suas fotos sem zoom, e se for o caso amplie-as seletivamente (trabalhando em uma cópia) no computador depois. Na dúvida, use os seus pés como zoom: aproxime-se do objeto!

Na hora da foto

  1. Segure firme! Muitas câmeras atuais têm algum recurso para evitar o efeito tremido, mas até mesmo nelas o ideal é segurar a câmera com estabilidade na hora de tirar a foto. Uma técnica simples é afastar as pernas para ter mais estabilidade, firmar os cotovelos junto ao corpo e erguer as duas mãos segurando a câmera próximo ao rosto, prendendo a respiração enquanto finaliza o enquadramento e aperta o botão delicadamente. Quando possível, você também pode firmar os cotovelos ou ou pulsos em algum objeto do ambiente.

  1. Não centralize tudo, nem tenha medo de “cortar os pés” Dê mais vida e dinamismo às suas fotos, abandonando a técnica antiga de deixar o ponto principal da foto exatamente no seu centro. Uma das maneiras mais básicas de obter um enquadramento harmonioso é imaginar que a sua foto é um grande tabuleiro de jogo da velha retangular, e alinhar o corpo (ou o rosto, se for um retrato) do modelo a uma das duas linhas verticais traçadas. Depois de dominar o alinhamento básico, você pode buscar aprender mais sobre o bom uso da grade de 3×3 células formada pelo “jogo da velha”, usando bem suas linhas e células para enquadrar – por exemplo, deixando livre o terço superior, como no exemplo acima, ou um dos terços laterais. Dica extra: algumas câmeras (como a do iPhone, se você estiver usando o iOS 5 ou superior) dispõem do recurso de exibir esta grade diretamente no display, facilitando a vida de nós, amadores.

  1. Dê dois ou cinco passos para a frente… Se for o caso, tome emprestado do Cinema o chamado Plano Americano (do joelho pra cima, mostrando melhor a expressividade do rosto, sem esconder o fundo) ou o Plano Médio (da cintura pra cima, mostrando com clareza a interação entre os modelos). Meu avô dizia que uma foto bem enquadrada mostra ao mesmo tempo os pés e a cabeça do modelo, mas às vezes faz bastante sentido tirar as fotos bem mais de perto. Enquadre bem, e conscientemente, mas não tenha medo de tirar as fotos um pouco mais de perto.

  1. Ajuste o foco: já aconteceu de você tirar uma foto, e ao vê-la posteriormente, perceber que a câmera colocou em foco alguma coisa do fundo da imagem, e o que você queria mostrar ficou borrado? Em câmeras digitais comuns, para “travar” o foco, você deve apontar a mira da sua câmera digital exatamente para o ponto que deseja focalizar, e aí apertar o disparador até a metade, aguardando para que seja focalizado (até ouvir um bip, ou ver o indicador da mira ficar verde). Aí, sem soltar o disparador (que está apertado apenas até a metade), reposicione a câmera para dar o enquadramento que desejar – o foco permanecerá fixo, por mais que você reenquadre. Na câmera do iPhone a coisa é mais simples: basta tocar no ponto que você deseja focalizar, e aguardar 2s enquanto ele ajusta foco e iluminação.

  1. Para fotos de crianças, se abaixe: Especialmente se for tirar fotos de crianças ou bichos, procure segurar a câmera na altura dos olhos deles. A foto vai ficar muito mais interessante e natural, mesmo que eles não estejam olhando para a lente da câmera! Tirar fotos de cima para baixo ou de baixo para cima pode ser interessante como expressão de criatividade previamente ensaiada, mas não como demonstração de pressa ou de preguiça para fazer o enquadramento essencial ツ

  1. Para surpreender, procure composições e enquadramentos criativos: Depois de ter garantido o sucesso com o enquadramento básico, procure um ponto de vista criativo: fotos de reflexos do seu objeto, silhuetas, sombras, pontos de vista incomuns, etc. Mas se a ideia for registrar um momento ou uma pessoa, o ideal é começar pela objetividade simples, e só depois ir para a complexidade artístico.

Completando a infraestrutura

  1. Automatize o que precisar: Eu prefiro escolher sozinho o foco e o momento exato da foto, mas há quem tenha dificuldades na operação ou coordenação e acaba tirando grande quantidade de fotos tremidas, fora de foco, ou perdendo o momento exato que queria registrar. Se você conhece alguém assim, insira na lista de possíveis presentes de aniversário para esta pessoa uma câmera com estabilização automática de imagem, detecção de face (‘face detection’) e detecção de sorriso (‘smile shutter’). As configurações avançadas podem ser complicadas (de sorrisinho a gargalhada, sorrisos de todos os modelos ou de um específico, etc.), mas a configuração padrão tende a ser boa, bastando ativá-la (e essa parte é fácil) quando necessário.

  1. Melhorando os auto-retratos As câmeras digitais, especialmente as de celulares e smartphones, são responsáveis pela proliferação de auto-retratos tirados segurando a câmera com o braço esticado, tendo de adivinhar o enquadramento, o foco e o fundo. Muitas vezes, mesmo que a foto não fique tecnicamente boa, serve como um registro divertido e interessante. Se você tem o hábito, peça ao Papai Noel uma câmera com flip no display LCD, permitindo girá-lo para ver a imagem mesmo quando se está de frente para a lente. Outra alternativa é um celular com câmera frontal. Se não rolar, ao menos procure uma câmera com um mini-espelho de enquadramento ao lado da lente.

  1. Estabilizando com um mini tripé: Se você gosta de tirar fotos de si mesmo (seja com o timer da própria câmera, ou segurando a câmera apontada para si), está na hora de arranjar um mini-tripé. Muitos deles cabem, quando desarmados, no estojo da sua câmera. Eles permitem melhor posicionamento e controle de enquadramento, e os modelos básicos custam tão barato que não vale a pena continuar sem eles.

  1. Imprimindo Hoje a maior parte das fotos tem como destino o compartilhamento on-line, mas imprimir fotos em casa, com qualidade que se aproxima dos serviços profissionais comuns, geralmente pode ser feito em uma impressora doméstica típica, operando em seu modo de mais alta qualidade e com papéis fotográficos que você encontra na papelaria da esquina. Pode servir bem para uma impressão casual ou eventual, para colocar na parede ou para dar de presente para a vovó. Eu sempre tenho em casa algumas folhas de papel fotográfico compradas na papelaria da esquina, e de vez em quando elas são úteis – mas tomo o cuidado de guardá-las seguindo as recomendações do fabricante, expressas no envelope, senão elas estragam rapidinho antes de imprimir.

  1. Softwares Câmeras de celular podem ser melhor aproveitadas com uma série de apps, como o Camera+ do iPhone. E as fotos de qualquer câmera podem ser pós-produzidas com simplicidade suficiente até mesmo para amadores, usando aplicativos como o Photoshop Elements, o Gimp ou muitos outros que você pode pesquisar e experimentar!

Consumidor brasileiro ainda sofre com problemas básicos

Dia do Consumidor é celebrado hoje, dia 15, mas empresas nacionais têm um longo caminho para chegar a um cenário de respeito, como melhorar o atendimento

Por Fernanda Salem, do Mundo do Marketing | 15/03/2012

No Dia do Consumidor, as empresas contam com uma data oficial para homenagear aqueles que têm a decisão de compra. A parte ruim é que, ainda hoje, grande parte das companhias no Brasil, com destaque para a área de serviços, não respeita o cliente como deveria. Apesar de ter cada vez mais o poder em mãos, o consumidor brasileiro continua com dificuldades em serviços básicos, como em se comunicar com a empresa e no atendimento, principalmente no pós venda.

O maior problema está no atendimento, com a dificuldade de se conectar com a empresa pelos canais oficiais, o que deveria ser entendido como um direito primário do consumidor. A falha, inclusive, faz com que muitas queixas que seriam facilmente resolvidas pelas empresas se o atendimento funcionasse devidamente sejam levadas a órgãos como o Procon e à Justiça, atrapalhando o sistema.

A área de serviços apresenta a maior dificuldade no quesito, sendo os campeões de reclamações nacionais os setores de Telecom e o Financeiro. A presença de empresas gigantes nas primeiras posições dos reclamados, como Oi, Itaú e Claro, mostram que há um longo caminho a ser percorrido para que o pleno respeito pelo consumidor no Brasil seja atingido.

“O consumidor tem o direito à informação e ao atendimento. É evidente que ainda há muito que as empresas devem fazer para chegarmos a uma situação mais equilibrada e de acordo com o que está previsto pelo Código do Consumidor”, diz Karina Alfano, Gerente de Relacionamento do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em entrevista ao Mundo do Marketing.

Pós venda é precário
Muito se fala sobre a tendência do foco no consumidor e no investimento em fidelização, mas na prática ainda existem muitas empresas que estão devendo neste quesito, principalmente no que diz respeito ao pós venda e em se manter disponível para resolver problemas.

“O preço é quase igual, o grande diferencial que desponta é o atendimento, que é a principal queixa hoje em dia”, diz Maurício Vargas, Presidente do site ReclameAqui, em entrevista ao portal. “O Brasil tem um empenho enorme na venda, mas é precário no pós venda. Existe uma prática de desrespeito pelas empresas, que contornam a lei, como a do SAC, por exemplo, que determina que o cliente não pode passar mais de um minuto na espera do telefonema. Em muitos casos, as empresas simplesmente atendem e derrubam a ligação, o que não leva a nada”.

Serviços mal prestados
No último Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas, de 2010, a principal reclamação entre as recebidas nos Procons de 22 estados é com o Aparelho Celular, com 32,29% das demandas, totalizando 21.609. Destas, 73,15% foram atendidas. Em segundo lugar estão Serviços Financeiros, com 17,12%, seguidos por Serviço de Cartão de Crédito (13,04%), Serviço de Telefonia Celular (13%), Serviços Bancários (9,20%) e Serviço de Telefonia Fixa (8,20%).

Telecom e Financeiro também são os destaques do ranking das empresas mais reclamada (veja tabela completa abaixo). Em primeiro lugar está a Oi, com 6,79% e 8.328 reclamações. Em seguida vem Itaú, com 5.015, Claro/Embratel (4.381), LG (3.413), Bradesco (3.222), Sony Ericsson (3.176), Samsung (3.130), Tim/Intelig (2.668), Vivo (2.250) e Ricardo Eletro (2.088). Ainda aparecem no Top 30 Nokia (11°), BMG (14º), Citibank (15º), Banco do Brasil (20º), Santander (23º), HSBC (25º) e Starcell (29º).

Posição Fornecedor**
Total de Reclamações
Quantidade Proporção*
OI 8.328 6,79%
ITAÚ 5.015 4,09%
CLARO / EMBRATEL 4.381 3,57%
LG 3.413 2,78%
BRADESCO 3.222 2,63%
SONY ERICSSON 3.176 2,59%
SAMSUNG 3.130 2,55%
TIM / INTELIG 2.668 2,18%
VIVO 2.250 1,83%
10º RICARDO ELETRO 2.088 1,70%
11º NOKIA 2.016 1,64%
12º WHIRLPOOL / MULTIBRAS / CONSUL / BRASTEMP / COMPRA CERTA 1.499 1,22%
13º PONTO FRIO 1.427 1,16%
14º BMG 1.314 1,07%
15º CITIBANK 1.293 1,05%
16º CARREFOUR 1.255 1,02%
17º MABE ELETRODOMESTICOS / GENERAL ELECTRIC / DAKO 1.235 1,01%
18º LOJAS INSINUANTE 1.230 1,00%
19º AMERICANAS.COM / SUBMARINO / SHOPTIME / B2W 1.206 0,98%
20º BANCO DO BRASIL 1.204 0,98%
21º WALMART 1.172 0,96%
22º CCE / DIGIBRAS 1.143 0,93%
23º SANTANDER 1.078 0,88%
24º POSITIVO 1.062 0,87%
25º HSBC 926 0,75%
26º CASAS BAHIA 879 0,72%
27º ELECTROLUX 877 0,71%
28º C&A 835 0,68%
29º STARCELL 803 0,65%
30º LOJAS AMERICANAS 774 0,63%
Fonte: Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas 2010/Sindec

No ranking de 2011 do Procon de São Paulo, que é separado, o cenário é o mesmo. Fica em primeiro lugar nos assuntos mais demandados o Banco Comercial, com 28.164 de um total de 407.118 reclamações. Completam o Top 5 Cartão de Crédito (27.631), Telefonia Fixa (21.768), Telefone, que engloba celular e convencional, (21.136) e Telefonia Celular (20.762). Os cinco também estavam nas primeiras posições em 2010, com leves mudanças.

“O consumidor do setor bancário ainda sofre muito, especialmente com cobranças indevidas de tarifas, transações não reconhecidas e envio de cartões não solicitados. Na área de Telecomunicações o principal é a falta de clareza na hora da venda, há muita oferta de pacotes, então o cliente sofre com a falta de informação, desde o valor cobrado até o serviço que receberá”, diz Selma do Amaral, Gerente de Relacionamento do Procon-SP, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Telecom é reduto de reclamações
Desde a inauguração do Sindec, em outubro de 2004, as reclamações relativas a produtos e serviços de telecomunicações frequentam os topos dos rankings de atendimento dos Procons do país. O setor, que reúne Telefonia Fixa, Telefonia Celular, TV por assinatura, Internet e Aparelhos Celulares, manteve o posto do mais reclamado em 2010, com 31,72% do cadastro nacional, chegando a 38.905 reclamações fundamentadas.

No setor, o problema com a maior ocorrência foi com garantia, incluindo descumprimento e abrangência, com 12.572, seguido por cobrança indevida, com 9.120, e produto entregue com danos (4.359). A participação de Telecom nas demandas não atendidas é alta, de 32,27%.

“Telecom cresce muito anualmente e, em contrapartida, as reclamações crescem junto. Dá para perceber que as empresas acabam investindo na área de vendas e na possibilidade de aumentar o número de clientes, mas o investimento não é proporcional na central de atendimento e no relacionamento quando ele já é cliente”, diz Karina.

E-commerce entra no jogo
Com o avanço do comércio eletrônico brasileiro, o setor começa a ganhar relevância nos negócios, e também no que diz respeito aos direitos do consumidor. No ranking do Cadastro Nacional de Reclamações de 2010, Americanas.com, Submarino e Shoptime, operados pela B2W, já aparecem no 19º lugar, com 1.206 reclamações, sendo 42,79% não atendidas.

“A partir de 2011 tivemos um destaque forte no comércio eletrônico, que ainda não ocupa o topo dos rankings de assuntos reclamados, mas vem mostrando maior expressividade. O setor tende a se expandir trazendo novos desafios, já que lidamos com um mundo virtual e um tempo mais acelerado. O maior problema é com a entrega”, diz Selma.

No ReclameAqui, site com seis milhões de consumidores cadastrados, as lojas virtuais lideram o número de queixas desde 2011, com 38%. O campeão dos problemas no e-commerce é o atraso na entrega, em 59% dos casos. A Americanas.com desponta, com 21.790 reclamações. A informação é confirmada por um estudo da Miti de 2011, que mostra que 48% das queixas no setor são da empresa, seguida pelo Submarino, com 26%, o Compra Fácil, com 24%, e o Shoptime, com 1%. A Americanas.com é também a segunda empresa mais reclamada somando todas as denúncias dos sites ReclameAqui, Reclamão e NuncaMais, ficando atrás apenas da Tim.

Os problemas levaram o Procon-SP a impedir por três dias o funcionamento dos e-commerces mais reclamados nos portais dos três sites: Americanas.com, Submarino e Shoptime. A advertência faria ainda com que a B2W pagasse uma multa de R$ 1.744.320. A ação, no entanto, não foi praticada. Ontem mesmo, dia 14, a Justiça de São Paulo acolher uma liminar da empresa que suspendeu a decisão, que passaria a valer hoje.

Solução é atender a demanda
Não existem pesquisas efetivas no Brasil dizendo se o consumidor que tem um problema resolvido pela empresa pode voltar a confiar nela. Mas há uma grande chance de que, se as companhias se mostrarem disponíveis, possam até passar uma imagem positiva para o consumidor. “Problemas acontecem, o importante é que a empresa tenha um canal eficiente, rápido e ágil para solucioná-los. O consumidor reconhece quando a resposta é imediata, o que inclusive pode levar à fidelização do cliente. Mas, quando ele não consegue nem se comunicar, a tendência é a quebra no ciclo de confiança”, afirma Selma.

No ReclameAqui, 55% dos consumidores voltariam a se relacionar com a mesma empresa após terem suas reclamações atendidas e resolvidas. Um ranking que mostra as companhias com melhores índices de voltar a fazer negócios traz em primeiro lugar o Grupo Scalina, com 96% dos casos, seguido por Brasil Foods S.A. (94,2%), Estrela (94%), Brinquedos Bandeirantes (92,6%) e Sadia (91,6%).

Apesar de ser o melhor caminho para resolver o problema e tentar reverter a situação problemática, nem todas as empresas se preocupam em atender as solicitações oficiais. No Cadastro Nacional do Sindec, o banco Panamericano lidera a listagem das empresas que menos atendem os consumidores, (veja a tabela completa abaixo) com 57,73% das vezes, seguido por Gradiente (56,46%), Banco Cruzeiro do Sul (52,97%) e Santander (51,30%).

Posição Fornecedor** Total de Reclamações
Fundamentadas Não Atendidas
Quantidade Proporção*
PANAMERICANO 750 433 57,73%
GRADIENTE (IGB ELETRÔNICA) 395 223 56,46%
BANCO CRUZEIRO DO SUL 387 205 52,97%
SANTANDER 1.078 553 51,30%
BV FINANCEIRA / BANCO VOTORANTIN 616 287 46,59%
OI 8.328 3.817 45,83%
AMERICANAS.COM / SUBMARINO / SHOPTIME / B2W 1.206 516 42,79%
BMG 1.314 548 41,70%
TIM/INTELIG 2.668 1.094 41,00%
10º STARCELL 803 306 38,11%
11º BNP PARIBAS / BGN / CETELEM / CARDIF 546 203 37,18%
12º BANCO DO BRASIL 1.204 438 36,38%
13º DOMESTILAR 322 116 36,02%
14º LASER ELETRO MAGAZINE 396 141 35,61%
15º CITIBANK 1.293 459 35,50%
16º ITAÚ 5.015 1.752 34,94%
17º HSBC 926 319 34,45%
18º LOJAS MAIA 552 190 34,42%
19º CARREFOUR 1.255 431 34,34%
20º CCE / DIGIBRAS 1.143 392 34,30%
21º ELETRO SHOPPING 450 151 33,56%
22º CAIXA ECONÔMICA FEDERAL 542 181 33,39%
23º LOJAS AMERICANAS 774 258 33,33%
24º CLARO/EMBRATEL 4.381 1.433 32,71%
25º WALMART 1.172 376 32,08%
26º PONTO FRIO 1.427 451 31,60%
27º BRADESCO 3.222 989 30,70%
28º EDITORA TRÊS 293 89 30,38%
29º C&A 835 251 30,06%
30º MOTOROLA 633 190 30,02%
Fonte: Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas 2010/Sindec

O poder está nas mãos do consumidor
Não é novidade que o consumidor está mais poderoso e que a internet rouba o controle das empresas para a mão dos internautas. Cada vez mais, as redes sociais mostram-se eficientes para melhorar o atendimento, ultrapassando o uso do SAC. O problema é restringir-se ao pontual e não a uma solução a longo prazo, fazendo com que sites como Facebook e Twitter não substituam os canais tradicionais, mas sirvam como um complemento para ouvir e dialogar com o consumidor.

“Algumas empresas assumem que têm uma política de atendimento diferente se a reclamação vem pela rede social, onde eles atendem mais rápido. As redes sociais são um grande instrumento, sem dúvida, mas tendem a resolver situações pontuais e não criar um diagnóstico para solucionar o problema a longo prazo”, diz Karina.

A opinião é a mesma da Selma do Amaral, do Procon-SP. “As redes sociais são mais um canal para os consumidores expressarem sua insatisfação, mas são uma solução imediata e passageira, e o problema continuará a atingir outros. Esperamos do fornecedor que utilize esta plataforma para enxergar onde mora o problema e que as falhas sirvam para que eles corrijam a conduta e não meramente limpem o nome”, diz.

No Dia do Consumidor, um bom atendimento e a solução de problemas a longo prazo são pontos que devem ser pensados para que as empresas não só mantenham a sua reputação, mas preservem seus clientes. No Brasil, ainda falta muito para se chegar a uma situação ideal de respeito ao consumidor. As companhias que acertarem o foco no relacionamento podem se destacar e até mudar este cenário.

“O empresariado brasileiro comemora o Dia do Consumidor só no dia 15, mas isto é uma reversão, porque deve ser todo dia, já que ele paga as contas das empresas. A cada dia criamos mais leis e regras para que as empresas respeitem o consumidor, mas o que é realmente necessário é que as companhias já saibam e incorporem este respeito”, diz o executivo do ReclameAqui.

Conheça os personagens da minissérie Rei Davi – Rede Record

Abiatar

Elder Gattely

Filho de Aimeleque. Rapaz de aparência frágil, um pouco rebelde e incrédulo, muito questionador dos desígnios de Deus. É o único sobrevivente da chacina que acontece na Escola dos Profetas, ordenada por Saul. Após a morte do seu pai, passa por muitas dificuldades para fugir e conseguir chegar com vida ao acampamento de Davi. Atribui sua sobrevivência a um milagre. A partir daí, sua relação com Deus muda drasticamente, passando a ser um homem devoto e fiel. Vai receber uma importante missão do rei Davi: proteger a Arca da Aliança.

Abigail

Janaína Ávila

Abigail (Janaína Ávila) é mais uma das esposas de Davi (Leonardo Brício), junto com Mical (Maria Ribeiro), Maaca (Thaiz Vaz) e Bate-Seba (Renata Dominguez). Ela será a única das mulheres que ficará amiga de Bate-Seba e a ajudará em momentos difíceis como no nascimento de seu filho com o rei

Abner

Iran Malfitano

General do exército do rei Saul. Não gosta de Davi. Trama contra ele. Acaba se envolvendo com Rispa, con-cubina de Saul, causando muita confusão. É amigo de Jonatas, mas não concorda que Davi seja o sucessor do trono de Israel. Líder nato, grande estrategista, envolvente. Consegue tudo o que quer de forma mansa. Não é confiável. Tem uma queda por bebida e mulheres. Segue à risca as leis de Israel, mas falha ao se envolver com Rispa.

Absalão

Léo Rosa

Filho de Davi (Leonardo Brício), Absalão (Léo Rosa) tem ciúmes da relação do pai com seu meio-irmão Amnon (Roger Gobeth) e faz de tudo para impressioná-lo. Ao contrário de Amnon, é responsável, interessado e prestativo. Soldado medíocre, inseguro, não gosta de se arriscar nas batalhas. É muito apegado à irmã Tamar (Julia Fajardo). Não perdoa o pai por não ter ordenado a morte de Amnon após o estupro de sua irmã. Revoltado, manda matar o irmão e foge. Volta anos depois para usurpar o trono de seu pai.

Adriel

Romulo Estrela

Soldado habilidoso, fiel a Saul. Não gosta de Davi, porque sabe que ele tem uma queda por Merabe. Casa-se com ela e ajuda o rei Saul a tramar contra Davi. Morre na batalha contra os filisteus defendendo Saul.

Agague

Raymundo de Souza

Rei dos amalequitas, grande inimigo de Israel. Sua vida é poupada pelo rei Saul contra a ordem expressa de Deus, dada pelo profeta Samuel. É morto por Samuel.

Aimeleque

Yunes Chami

Mestre da Escola de Profetas e sumo-sacerdote, Aimeleque (Yunes Chami) é amigo de Samuel (Isaac Bardavid). Homem paciente, principalmente com seu filho, Abiatar (Elder Gattely), que bebe além da conta e deixa os afazeres diários em segundo plano. Generoso e humilde, sua dignidade é admirada pelos aprendizes. Dá guarida a Davi (Leonardo Brício) e o ajuda com provisões durante sua fuga. Com muita coragem enfrenta o rei Saul (Gracindo Jr.) e não revela o paradeiro de Davi, mesmo sabendo que foi enganado por ele e que essa atitude vai lhe custar a vida.

Ainoã

Marly Bueno

Esposa de Saul, Ainoã é uma mulher insolente, atrevida, desrespeitosa, megera. É um tormento para a nora Selima, de quem exige um neto. Mãe superprotetora, vigia a vida das filhas e acha que as tem sob controle, quando é justamente o contrário. Morre de ciúme de Rispa, concubina predileta de seu marido.

Aitofel

Paulo Figueiredo

Pai de Eliã, sogro de Laís e avô de Bate Seba.
É um dos anciãos que defendem Davi e o coroam rei de Israel. Vira o seu conselheiro mais importante depois que o rei assume o trono em Jerusalém. Sua palavra é considerada profética. Homem de grande sabedoria, perspicaz, astuto. Vai confrontar Davi pela morte do filho Eliã e jura se vingar em segredo. Arma uma revolta silenciosa e envenena Absalão contra o próprio pai. Comete suicídio antes da derrocada de Absalão.

Allat

Cibele Larrama

Allat (Cibele Larrama) é médium e foi trazida da Babilônia por Doegue (Roney Villela), que a tomou como esposa. Ela oferece secretamente cultos à deusa Ishtar pois sabe que é uma prática proibida pelas leis de Israel. Descoberta em um ritual pelo rei Saul (Gracindo Jr.), é severamente castigada por ele. Seus caminhos voltarão a se cruzar no futuro, quando o rei precisar de seus serviços como feiticeira

Amnon

Roger Gobeth

Filho primogênito de Davi (Leonardo Brício), Amnon (Roger Gobeth) é beberrão e inconsequente. Adora esbanjar com as mulheres e não demonstra nenhuma fé em Deus. É um sedutor, bom de lábia e sabe como cativar o pai. Apesar de ser o filho predileto e o sucessor do trono de Israel, não se ocupa dos interesses do reino. Aprende a lutar com o rei e é muito hábil com a espada. Vai estuprar Tamar (Julia Fajardo), sua meia-irmã, e provocar a fúria de seu irmão Absalão. É expulso do palácio por Davi. Seu irmão Absalão (Leo Rosa) dá ordens para matá-lo.

Bate-Seba

Renata Domínguez

O grande amor do nosso herói Davi. Vive com ele uma paixão proibida e arrebatadora. Belíssima, encantadora e misteriosa, Bate-Seba é casada com Urias, soldado de Davi, quando começa a ser cortejada pelo rei. Resiste a princípio, mas acaba cedendo e comete adultério, que terá consequências devastadoras. Os dois se apaixonam perdidamente. Depois da morte de seu marido, casa-se com Davi. Vai sofrer com a morte do primeiro filho do casal, mas é abençoada com o nascimento de Salomão, que será o futuro rei de Israel. Filha de Laís e Eliã e neta de Aitofel. É serena, paciente, sábia, mas tem uma personalidade forte. Vai ser muito odiada pelas outras esposas de Davi.

Davi

Leonardo Brício

“Um homem segundo o coração de Deus.” Filho de Jessé e Edna, caçula de sete irmãos, pastor de ovelhas. Davi é escolhido por Deus para ser o rei de Israel, atraindo a fúria e a inveja do rei Saul. Torna-se um guerreiro forte, valente e destemido. Também é um artista. Toca harpa e canta lindamente, além de compor salmos de adoração a Deus. É generoso, sensível, humilde, homem de uma fé inabalável. Vai se transformar em um rei sábio, justo, poderoso, adorado pelo seu povo. Mas uma paixão proibida irá marcar sua vida para sempre de forma trágica.

Doegue

Roney Villela

Soldado de Saul (Gracindo Jr.), Doegue (Roney Villela) é um homem de aparência sinistra, furtivo, cruel e sem escrúpulos. Grande rastreador. Lidera as caçadas a Davi (Leonardo Bricio) quando este foge de Saul. É casado com uma mulher vinda da Babilônia, Allat (Cibele Larrama), feiticeira, que foi expulsa do acampamento. É o responsável pela chacina de vários sacerdotes, entre eles, Aimeleque (Yunes Chami). Sofre do mal de lepra e vira um pária por isso.

Edna

Ângela Leal

Mulher de Jessé, Edna é mãe de Davi e de mais sete filhos. Mulher sábia, de grande fé, trabalhadora e esforçada. Ensina Davi a tocar harpa e a cantar lindos hinos de louvor a Deus. Sabe do talento e do valor de Davi e não o subestima como o pai e os irmãos. Davi é o seu preferido ao contrário do resto da família.

Eliã

Eduardo Semerjian

Filho de Aitofel (Paulo Figueiredo), marido de Laís (Sônia Lima) e pai de Bate-Seba (Renata Domínguez), Eliã (Eduardo Semerjian) trata o genro Urias (Alexandre Barillari) como seu próprio filho. Está entre os trinta guerreiros mais valentes de Davi (Leonardo Bricio). Gosta da mulher, Laís, e faz tudo para agradá-la. É o orgulho do pai Aitofel

Eliabe

Rodrigo Phavanello

Irmão mais velho de Davi, Eliabe é o primogênito de Jessé e o seu filho mais amado. Alto, bonito, faz parte do exército do rei Saul. Na verdade, é um guerreiro medíocre que adora contar vantagens. Não acredita que Davi tenha matado um urso e um leão para salvar as ovelhas do pai. Acha que Davi inventa histórias e que nunca teria coragem para isso. Fica surpreso quando vê o irmão derrotando o gigante Golias. É interesseiro e ambicioso. Acha que vai ser o rei ungido por Samuel, mas quando vê que Davi é o escolhido, morre de inveja do irmão

Esbaal

Daniel Andrade

Filho de Saul e Ainoã, Esbaal é irmão mais novo de Jonatas, Merabe e Mical. É um soldado medíocre, um homem frágil e influenciável. Quando Saul morre, Abner o usa para manobra política e o coroa como rei para evitar que Davi assuma o trono de Israel. Abner é quem assume o poder de fato e o usa como marionete em suas mãos.

Husai

Gabriel Gracindo

Inteligente, sensível e corajoso, Husai (Gabriel Gracindo) é um jovem sacerdote de Jerusalém, aprendiz de Natã (Thelmo Fernandes) e amigo de Davi (Leonardo Brício). Conhece Tamar (Julia Fajardo) desde criança. Husai se aproxima da moça depois que ela é violentada pelo próprio irmão, sem saber de seu amor por ele. Acaba se apaixonando por ela. É justamente o amor de Husai que liberta Tamar de sua dor. Mas esse é um romance proibido, pois como sacerdote ele não pode se casar com uma moça que não seja pura.

Itai

Daniel Bouzas

Filisteu. Ferreiro experiente, responsável por confeccionar as armas para as guerras. Torna-se amigo de Davi quando ele estiver morando na cidade de Ziclague. Será ameaçado de morte por Aquis, rei dos filisteus, por ter ensinado aos israelitas a arte da metalurgia e de fazer armas. É ajudado por Davi e passa a viver em Jerusalém como refugiado. Abandona o culto a deuses pagãos e converte-se ao Deus de Israel. Durante a revolta de Absalão, defende Davi e luta ao seu lado.

Jessé

Clemente Viscaino

Marido de Edna. Jessé é pai de Davi e de mais sete filhos. Jessé é um homem pobre, simples, rude. Mora em Belém, no campo, com sua família. Tem preferência pelos filhos mais velhos, que são soldados de Saul. Não dá atenção a Davi, a quem julga um garoto sem grande potencial para virar um guerreiro. Por isso dá a ele a função de cuidar de suas ovelhas, uma tarefa indigna na época.

Joabe

João Vitti

Sobrinho de Davi e viúvo, Joabe é pai de Raquel. Homem correto, de caráter, mas muito impulsivo. Faz as maiores loucuras sem pensar. Torna-se o braço direito de Davi e o comandante de seu exército. É muito respeitado por seus soldados. Guerreiro destemido, sanguinário, grande estrategista.

Jonatas

Claudio Fontana

Filho de Saul e Ainoã, Jonatas é irmão de Merabe, Mical e Esbaal. É um dos principais guerreiros e o braço direito de seu pai, por quem tem adoração. Torna-se um grande amigo e mentor de Davi. Essa amizade vai estremecer sua relação com o pai, quando o rei Saul passar a perseguir Davi como inimigo. É casado com Selima e é apaixonado por ela. O casal sofre por não poder ter filhos. Quando Selima finalmente engravida, ela morre no parto ao dar à luz o menino Mefibosete. Jonatas rejeita o filho a princípio e o culpa pela morte da esposa. Depois de um tempo, porém, ele passa a aceitar a criança e amá-la. Homem equilibrado, honesto, idealista, temperamento calmo, leal e amoroso.

Josias

Oberdan Júnior

Servo fiel de Davi. Trabalha no palácio preparando a mesa, servindo suas refeições, cuidando de suas roupas, etc. É o elo entre Davi e Bate Seba nos primeiros encontros do casal.

Laís

Sônia Lima

Esposa de Eliã, mãe de Bate Seba. Mulher muito bonita e elegante, mas com um semblante severo. Nunca amou seu marido, é acomodada no casamento. Tem um discurso hipócrita e moralista. Culpa a filha pela morte de Urias e Eliã. Corta relações com Bate Seba a princípio, mas depois se torna sua amiga e a livra de ser apedrejada pelo avô.

Maaca

Thais Vaz

Maaca (Thais Vaz) é uma das esposas de Davi (Leonardo Brício). Bonita e elegante, é mãe de Absalão e Tamar, dois dos filhos do rei que protagonizarão uma tragédia familiar.

Mefibosete

Vitor Hugo

Filho de Selima e Jonatas, neto de Saul e Ainoã. Sente-se culpado pela morte da mãe, que morre depois de lhe dar à luz. É rejeitado pelo pai por muito tempo, mas aos poucos vai conquistando sua afeição. É cuidado por Tirsa, serva de Selima, que o trata como filho depois da morte da mãe e da rejeição do pai. Quando Jonatas morre, cai do colo de Tirsa quando ela foge do acampamento dos israelitas para não serem mortos pelos inimigos de seu avô. A queda provoca ferimento grave em suas pernas. Sem tratamento, fica aleijado das duas pernas e tem extrema dificuldade para andar. Muitas vezes tem que se arrastar para se locomover. Passa fome com sua serva e não tem onde morar. Tem que mendigar para conseguir se sustentar. É complexado, tímido, não se sente digno do amor de ninguém. Envolve-se com uma prostituta e tem um filho com ela, Mica. Sofre nova rejeição, quando a moça foge com outro homem e deixa o filho para ele criar. Sua sorte muda quando o rei Davi lhe acolhe e o recebe para morar no palácio, devolvendo a ele todas as posses e terras de seu avô Saul. Fica rico da noite para o dia. Vai se apaixonar por Raquel, moça do palácio, linda, e custa acreditar que pode ser correspondido. Mefibosete será vítima das mentiras de seu servo Ziba, que engana Mefibosete e mente a Davi que ele é aliado de Absalão

Merabe

Camila Rodrigues

Filha mais velha de Saul (Gracindo Jr.), Merabe (Camila Rodrigues) é belíssima, vaidosa, espontânea e carismática. Adora fazer charme e seduzir os soldados do exército de seu pai. É bem liberal para a época. Envolve-se com Adriel (Rômulo Estrela), mas é prometida para Davi (Leonardo Brício) em casamento como prêmio por ele ter derrotado Golias.

Mical

Maria Ribeiro

Filha de Saul e primeira esposa de Davi, Mical é muito bonita. É obcecada por ele. Falsa, dissimulada e manipuladora. Tem inveja da irmã Merabe e sente prazer em causar intrigas. Ajuda Davi a fugir da ira do pai e aguarda o dia em que ele virá buscá-la. Como isso não acontece, sente-se abandonada por Davi. É obrigada por Saul a se casar com Paltiel, um homem a quem despreza. Tempos depois, Davi manda tirá-la do marido para morar com ele, mas Mical se revolta porque sabe que Davi só a quer por causa de interesses políticos. Vai ser o tormento de Bate-Seba. É idólatra, adora deuses pagãos, o que provoca a fúria de Davi. Não se conforma por não poder gerar filhos.

Natã

Thelmo Fernandes

Discípulo do profeta Samuel. Homem estudioso, decidido e de vasta cultura. Recebe a missão de cuidar de Davi após a morte de Samuel. Vai se tornar o grande conselheiro e amigo de Davi durante o seu reinado, sempre ajudando o rei nos momentos mais difíceis, como no dia em que ele perde seu filho da relação adúltera com Bate Seba. É usado por Deus tanto para repreender como para confortar Davi. Homem sincero, duro, firme, mas também amoroso.

Paltiel

André Segatti

Soldado experiente, ágil, corajoso e exímio flecheiro. Sempre foi apaixonado por Mical e inveja a proximidade de Davi com o rei. Não se conforma quando Davi se casa com a mulher de sua vida. É um dos que incita o rei Saul contra ele. Quando Davi foge, casa-se finalmente com Mical e tenta conquistá-la, mas em vão. O bravo guerreiro, a sós com sua amada, se torna um cordeirinho amedrontado. Mical faz do marido o que bem entende. Mesmo quando é devolvida a Davi, ela ainda o manipula. Vai se aliar a Absalão e Aitofel na rebelião para destruir Davi.

Raquel

Cacau Melo

Filha de Joabe. Espevitada, moleca, divertida, não tem papa na língua. Tem espírito aventureiro. Gostaria de ter nascido homem para guerrear como os soldados do pai. Aprende a lutar escondida com Jonadabe e não gosta de fazer serviços domésticos. É brava, durona, folgada, mas generosa. É a melhor amiga de Tamar, filha de Davi. Vai se apaixonar por Mefibosete.

Rei Aquis

Felipe Kannenberg

Rei dos filisteus, Aquis (Felipe Kannenberg) é o grande inimigo dos israelitas. Sempre absorto no grande desafio a que se propôs: derrotar Israel. Excelente estrategista, dá abrigo a Davi (Leonardo Bricio), pensando que ele traiu o seu povo. Se afeiçoa a ele. Sente-se traído quando descobre que Davi torna-se o rei de Israel e promete vingança

Rispa

Raquel Nunes

Concubina de Saul, irmã de Ziba, antiga serva de Ainoã. Moça bonita, com jeito de menina ingênua, mas muito sensual. Apesar de não ser a esposa oficial, tem mais privilégios junto ao rei do que Ainoã. É amiga de Tirsa, generosa e solícita. Se apaixona por Abner, general de Saul, e vai sofrer muito por isso.

Samuel

Isaac Bardavid

Profeta designado por Deus para ungir o rei de Israel, Samuel (Isaac Bardavid) é sábio, conselheiro, homem de muita fé que compreende bem a alma humana. É observador, justo, mas tem um temperamento forte. Fica irado quando as ordens de Deus não são cumpridas. Depois que Saul (Gracindo Jr.) é rejeitado por Deus, unge Davi (Leandro Léo) como futuro rei de Israel.

Saul

Gracindo Jr.

É casado com Ainoã e é pai de Jonatas, Esbaal, Mical e Merabe. Saul começa a história já com 30 anos de reinado, próximo dos 50 anos. Conduz os homens israelitas com brilhantismo. Guerreiro corajoso lidera seus soldados com mão firme. Com o passar do tempo, torna-se um homem arrogante e auto-suficiente, mas no íntimo é fraco e vulnerável. Começa a desobedecer as ordens de Deus e a falhar gravemente. Depois que Deus o rejeita como rei, passa a ser atormentado por um espírito maligno. Somente a música de Davi lhe traz paz. Ama Davi como filho, mas se transforma em seu maior inimigo ao descobrir que ele é o novo ungido de Deus.

Selima

Bianca Castanho

Esposa de Jonatas (Claudio Fontana), filho do rei Saul (Gracindo Jr), Selima (Bianca Castanho) é meiga, sincera, dedicada e apaixonada pelo marido. É constantemente humilhada pela sogra Ainoã (Marly Bueno), que lhe cobra netos e não gosta do fato dela ser estrangeira, já que outros povos são conhecidos por adorar outros deuses. Ela não acredita que Selima abandonou a antiga fé. Estéril, não pode ter filhos, o que lhe causa muito sofrimento. Mulher de muita fé, clama a Deus por um milagre.

Tamar

Julia Fajardo

Filha de Davi (Leonardo Brício) e irmã de Absalão (Léo Rosa), Tamar (Julia Fajardo) é uma garota doce e sensível. Inteligente, carinhosa, romântica. Nutre uma paixão secreta pelo sacerdote Husai (Gabriel Gracindo) desde criança, mas não é correspondida à princípio. É cercada de mimos pelos irmãos e pelas esposas de Davi, já que é a única filha mulher do rei. Mas nem por isso vira uma menina cheia de vontades. Sente falta da atenção do pai, que gasta mais tempo com os filhos homens. Adora preparar a comida de seus irmãos e de seu pai. Melhor amiga de Raquel (Cacau Mello), filha de Joabe (João Vitti). Será estuprada pelo meio-irmão Amnon (Roger Gobeth) e cai em depressão depois disso. Somente o amor de Husai conseguirá salvá-la de seu tormento.

Tirsa

Roberta Gualda

Serva fiel de Selima. Sofre quando se vê incapaz de salvar a vida de sua patroa Selima, que morre ao dar à luz a Mefibosete. Ela cria o menino como filho, mas o derruba do colo fugindo dos filisteus que acabaram de matar seu pai Jonatas. Mefibosete se torna aleijado das duas pernas. Não é fácil para Tirsa sobreviver criando o menino que depende completamente dela para tudo. Quando Davi acolhe Mefibosete, ela também vai viver no palácio e sua vida muda drasticamente. Tem um relacionamento tumultuado com Ziba.

Urias

Alexandre Barilari

Marido de Bate-Seba. Assim como o sogro Eliã, é um dos trinta guerreiros mais valentes de Davi. Homem de guerra, destemido, leal e religioso. É capaz de entregar a vida para salvar o rei. Não dá muita atenção para a mulher e a trata sem romantismo. Parece não se incomodar com um casamento morno, sem paixão. Davi o manda para a linha de frente da batalha contra os amonitas para ficar com Bate-Seba.

Ziba

Thierry Figueira

Servo de Saul, irmão de Rispa. Homem de comportamento dúbio, age ora com generosidade, ora com interesse. Ora é sincero, ora é falso. Gosta de Tirsa, mas se nega a ajudá-la a cuidar de Mefibosete quando ela mais precisa. Tempos depois, Davi ordena que Ziba cultive as terras de Saul para Mefibosete. Desta forma, Ziba se torna servo do homem que mais despreza e acaba armando contra ele de forma traiçoeira. Ao convencer Davi que Mefibosete está com Absalão, Ziba toma suas terras, mas depois acaba se dando mal.