Blasfêmia contra o Esirito tem perdão?

“Por esse motivo eu lhes digo: Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada”.

— Mateus 12:31

PENSAMENTO:

Muitos Cristãos sinceros já se perguntaram se cometeram a blasfêmia contra o Espírito. Preocupam-se com isso por temor ao Senhor. Eles têm dúvidas porque sabem que estão sujeitos a pecar e temem a possibilidade de ficar afastados do Senhor pela eternidade.

Isso é o contrário da reação dos fariseus e a razão pela qual eles corriam o risco de ficar sem perdão. Momentos antes eles atribuíram ao diabo uma obra do Espírito (v.24). E não foi por falta de conhecimento ou ignorância. Eram homens educados e espertos. Como Jesus acabou de mostrar, a acusação deles era um absurdo. Só havia uma explicação: eles estavam rejeitando O Messias deliberadamente.

Com isso, eles cometeram um pecado imperdoável ao rejeitar o único que podia perdoar – Jesus. Qualquer pecado não-arrependido, por menor que seja, não será perdoado (Lc 13:1-3). E qualquer pessoa que rejeita Jesus, o único capaz de perdoar, coloca-se numa situação igualmente sem perdão. Se a pessoa se arrepender depois, e reconhecer Jesus como Salvador e pedir perdão, certamente ele o dará. Como João afirmou, Jesus nos perdoará “de toda injustiça” (1 João 1:9). Não há pecado nem pecador que ele não perdoe, a não ser aquele que recusa reonchecê-lo como Senhor e Salvador. Se este não for seu caso, não há porque temer que você tenha cometido a blasfêmia contra o Espírito. Como certo sábio uma vez explicou, seu próprio temor ao Senhor nessa questão é a melhor prova de que desse pecado você não é culpado. Se houver algo do qual você precisa se arrepender, leve para Jesus na confiança de que ele veio levar seu pecado, todo seu pecado – e um dia levará você daqui para seu lar celestial.

ORE:

Pai misericordioso, agradeço ao Senhor porque o Senhor me revelou por meio de Jesus que ele perdoa tudo e todos, desde que tenhamos a fé nele e o arrependimento dos nossos pecados. Que possamos sempre louvar a Deus pela graça e perdão que encontramos em Jesus. Em nome do seu Filho Amado oramos e agradecemos. Amém.

Estradas paulistas ganham hoje 42 radares ‘dedo-duro’

Inicialmente serão vigiadas 24 vias; governo nega uso para multar ou cassar devedores de IPVA

Começa a operar hoje em 24 rodovias estaduais 42 radares capazes de ler as placas dos carros e cruzar a informação com um banco de dados para saber se ele é roubado, furtado ou possui alguma pendência com a Justiça. Entre as rodovias monitoradas estão a Castello, Anhanguera, Imigrantes, Raposo Tavares e Tamoios.

Os radares têm uma tecnologia denominada OCR (Optical Character Recognition, algo como reconhecimento ótico de caracteres). Eles se assemelham aos usados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) nas ruas da capital para flagrar o rodízio.

A Secretaria Estadual dos Transportes afirmou que eles têm condições de flagrar IPVA atrasado, sem licenciamento e até multar. Porém, por ora, só vão flagrar placas para fins de segurança. A média histórica de devedores do IPVA no Estado é de 5%.

Os radares funcionam da seguinte forma: a informação da placa é encaminhada por um sistema de rádio à base de polícia. Os números e letras são pesquisados num amplo banco de dados que informa se o veículo está em situação irregular. Se ele for fruto de roubo, furto ou dívida em questionamento na Justiça um sinal visual e sonoro é emitido. Esse processo demora menos de um minuto. A partir do aviso, o policial pode fazer a abordagem do veículo na estrada e verificar o documento do condutor.

Além dos 42 radares fixos, outros 61 serão instalados em carros da Polícia Rodoviária em novembro.

Em 2005, Alckmin sancionou lei que previa a instalação de radares para ler placas e verificar veículos roubados e com débitos de IPVA e multas. A proposta não saiu do papel.

(da redação)

Religião e cidadania

Por Ed René Kivitz

Igreja não vota. Igreja não faz aliança política. Igreja não apoia candidato. Igreja não se envolve com política partidária. Há pelo menos cinco razões para este posicionamento.

Primeira: o Estado é laico. Igreja e Estado são instituições distintas e autônomas entre si. É inadmissível que, em nome da religião, os cidadãos livres sofram pressões ideológicas. Assim como é deplorável que os religiosos livres sofram pressões ideológicas perpetradas pelo Estado. É incoerente que um Estado de Direito tenha feriados santos, expressões religiosas gravadas em suas cédulas de dinheiro, espaços e recursos públicos loteados entre segmentos religiosos institucionais. É uma vergonha que líderes espirituais emprestem sua credibilidade em questão de fé para servir aos interesses efêmeros e dúbios (em termos de postulados ideológicos e valores morais) da política eleitoral ou eleitoreira.

Segunda: o voto é uma prerrogativa do cidadão. Assim como os clubes de futebol, as organizações não governamentais, as entidades de classe, as associações culturais e as instituições filantrópicas não votam, também a igreja não vota. Quem vota é o cidadão. O cidadão pode ser influenciado, melhor seria, educado, por todos os segmentos organizados da sociedade civil, inclusive a igreja. Mas quem vota é o cidadão.

Terceira: a igreja é um espaço democrático. A igreja é lugar para todos os cidadãos, independentemente de raça, sexo, classe social e, no caso, opção política. A igreja é lugar do vereador de um lado, do deputado de outro lado, e do senador que não sabe de que lado está. A igreja que abraça uma candidatura específica ou faz uma aliança partidária, direta e indiretamente rejeita e marginaliza aqueles dentre seu rebanho que fizeram opções diferentes.

Quarta: a igreja não tem autoridade histórica para se envolver em política. Na verdade, não se trata apenas de uma questão a respeito da igreja cristã, mas de toda e qualquer expressão religiosa institucional. A mistura entre política e religião é responsável pelos maiores males da história da humanidade. Os católicos na Península Ibérica e em toda a Europa Ocidental. Os protestantes na Índia. Os católicos e os protestantes na Irlanda. Os judeus no Oriente Médio. Os islâmicos na Europa e na América. Todos estes cometeram o pior dos crimes: matar em nome de Deus. Saramago disse com propriedade que “as religiões, todas elas, sem exceção, nunca serviram para aproximar e congraçar os homens, que, pelo contrário, foram e continuam a ser causa de sofrimentos inenarráveis, de morticínios, de monstruosas violências físicas e espirituais que constituem um dos mais tenebrosos capítulos da miserável história humana”.

Quinta: o papel social da igreja é profético. Quando o governo acerta a igreja aplaude. Quando o governo erra a igreja denuncia. Quando a autoridade civil cumpre seu papel institucional a igreja acata. Quando a autoridade civil trai seu papel institucional a igreja se rebela. A igreja não está do lado do governo, nem da oposição. A igreja está do lado da justiça.

Todo cristão é também cidadão. Todo cristão deve exercer sua cidadania à luz dos valores do reino de Deus e do melhor e máximo possível da ética cristã, somando forças em todos os processos solidários, e engajado em todos os movimentos de justiça. Comparecer às urnas é uma ato intransferível de cidadania, um direito inalienável que custou caro às gerações do passado recente do Brasil, e uma oportunidade de cooperar, ainda que de maneira mínima, na construção de uma sociedade livre, justa e pacífica.

[Publicado pela primeira vez em setembro de 2006]

Grandes empresários dão ‘lições’ no Twitter; saiba o que eles ensinam

Bilionário Eike Batista já promoveu encontro para seguidores.
CEOs do Pão de Açúcar, EBX, Vivo e Buscapé falam sobre o assunto.

Ligia Guimarães Do G1, em São Paulo

Se você procurava um argumento para justificar as horas diárias que gasta no Twitter, encontrou: alguns dos mais poderosos e bem-sucedidos empresários do país também dedicam tempo e são cada vez mais aficionados pelo microblog.

Seguidos por uma legião de "pupilos" virtuais, eles aproveitam o espaço para dar lições na linha autoajuda empresarial e compartilham experiências e dicas sobre sucesso na carreira, empreendedorismo, ética e até amor.

O bilionário Eike Batista, dono da oitava maior fortuna do mundo, foi além: gostou tanto da relação professor/aluno que manteve com seus seguidores que resolveu conhecê-los pessoalmente: selecionou 28 twitteiros de todo o país (grupo que batizou de G28) para irem ao Rio de Janeiro a seu convite e encontrá-lo no mês passado em um restaurante da EBX, uma das empresas de Eike. (Clique para ver a foto e o vídeo que Eike publicou na internet sobre o encontro).

"Lancei o desafio via Twitter, após receber inúmeros pedidos de tuiteiros interessados em conhecer a forma como empreendemos (…). Foram três horas de ótima conversa, opiniões e sugestões de um grupo inteligente, motivado, disposto a fazer o Brasil crescer", elogiou Batista.

O critério para a escolha dos eleitos entre seus seguidores foi o empenho na "lição de casa": venceram a seleção os autores das melhores frases sobre os conceitos de empreendedorismo apregoados pelo empresário. O encontro reuniu adolescentes, jovens e adultos de diversas partes do país.

O empresário se diz contente em poder dar dicas para seus seguidores na rede social. "Acho que tenho uma experiência de empreender que posso compartilhar. Poder interagir com as pessoas, responder perguntas, isso é uma tremenda oportunidade", afirma.

Inspiração
Além de dividir suas ideias sobre saúde e liderança, Abílio Diniz, dono e fundador do Grupo Pão de Açúcar, gosta de usar o espaço para aconselhar jovens em busca de inspiração.

"Procuro esclarecer dúvidas com as minhas experiências de forma que possam ajudar as pessoas, especialmente os jovens, a refletirem sobre suas escolhas", diz o empresário.

"É muito gratificante ler mensagens dizendo que um simples conselho ajudou resolver um grande problema, ou ajudou uma tomada de decisão", afirma Diniz.

Ele conta que incorporou os tweets aos seus hábitos diários durante a semana e, sempre que possível, prefere postar suas mensagens no fim do dia. "Sou um homem de rotinas. Quando estou mais tranquilo, dou uma olhadinha também na hora do almoço", diz.

Interação com clientes

Acho que tenho uma experiência de empreender que posso compartilhar. "

Eike Batista

Para Roberto Lima, presidente da Vivo, o Twitter também é importante ferramenta de negócios. "Recebo tweets com dúvidas sobre serviços, sugestões e elogios do público, o que é um excelente termômetro para analisar como está nossa satisfação junto a clientes", diz.

O jovem empresário Romero Rodrigues, do Buscapé, concorda. "Tenho certeza que os empreendedores do passado tiveram um trabalho grande para sentir o mercado. Hoje, com o Twitter, esse termômetro é quase imediato", ensina.

AVISO LEGAL
Esta mensagem é destinada exclusivamente para a(s) pessoa(s) a quem é dirigida, podendo conter informação confidencial e/ou legalmente privilegiada. Se você não for destinatário desta mensagem, desde já fica notificado de abster-se a divulgar, copiar, distribuir, examinar ou, de qualquer forma, utilizar a informação contida nesta mensagem, por ser ilegal. Caso você tenha recebido esta mensagem por engano, pedimos que nos retorne este E-Mail, promovendo, desde logo, a eliminação do seu conteúdo em sua base de dados, registros ou sistema de controle. Fica desprovida de eficácia e validade a mensagem que contiver vínculos obrigacionais, expedida por quem não detenha poderes de representação.

como economizar água e energia e deixar a casa mais sustentável

·

A casa da arquiteta Consuelo Jorge foi toda pensada para aproveitar a iluminação natural

· VEJA COMO SÃO CONSTRUÍDOS TELHADOS VERDES

Há tempos apagar as luzes e fechar as torneiras não são as únicas maneiras de economizar energia e água nas residências. Na última década a tecnologia tem ajudado a desenvolver diferentes sistemas e formas de mudar a estrutura da casa e deixá-la mais sustentável e econômica. O problema é que muitos desses sistemas ainda não possuem valores inclusivos. Um sistema que reaproveita a água da pia para uso da descarga, por exemplo, chega a custar R$ 15 mil reais.

Quando construiu a própria casa, a arquiteta Consuelo Jorge aplicou diversos princípios da sustentabilidade e só depois de cinco anos o investimento se pagou. Mas ela acredita que pensar dessa forma ajudou também a trazer bem estar para a casa: “criamos um sistema de captação de água da chuva das varandas que as devolvem para o jardim e um tipo de "ar condicionado" composto por uma cascata com espelhos. O ar quente é "filtrado" por essa cascata e chega no ambiente três graus mais frio”. A casa de Consuelo é uma referência de construção sustentável. Grandes janelas aproveitam a luz do dia e promovem a ventilação natural, cruzada. A madeira empregada na construção é de reflorestamento. A água do chuveiro e das torneiras também é reaproveitada.

Apesar dos gastos, o arquiteto paisagista Benedito Abbud acredita que “o mercado possui desde soluções mais simples até as mais complexas. O que precisa se atentar é ao tipo de empreendimento, ao tamanho da residência, ao espaço disponível, à localização e, claro, ao bolso do proprietário. Entre as opções mais simples estão o aquecimento solar, a descarga do vaso sanitário com dois fluxos de água (mais ou menos água) e o uso de piso drenante, que drena água da chuva ajudando a minimizar o acúmulo de poças e enchentes”.

Para as soluções mais complexas, que envolvem troca de encanamentos e fiações os arquitetos aconselham procurar especialistas. Veja abaixo algumas dicas de Consuelo, Beneditto e do arquiteto Leonardo Shieh de como economizar energia e deixar a casa mais sustentável para todos os bolsos:

Para economizar água:


Certifique-se que não há nenhum vazamento na casa toda: Custam somente alguns reais para trocar o reparo danificado, que causa o típico gotejamento de torneiras – mas que pode economizar centenas de reais ao ano (além de muita água)

Troque as válvulas de descarga (parede ou caixa acoplada) para a de duas teclas: Na maioria das vezes, precisamos de menos água do que as válvulas comuns liberam a cada toque

Na casa de Consuelo, a água do jardim é reaproveitada

· MAIS NOTÍCIAS DE JARDINAGEM E PAISAGISMO

Instale arejadores de água nas torneiras: Misturando ar na saída da torneira, você torna a água mais volumosa. Isso aumenta o rendimento ao lavar as mãos ou louças

Para economizar na conta, coloque uma válvula bloqueadora de ar no hidrômetro: Em algumas regiões onde a distribuição de água é descontínua, muitas vezes ar é medido no lugar de água. Consulte os modelos permitidos pela sua concessionária de água

Economia em dobro: Lembre-se que tipicamente, as concessionárias cobram pela água duas vezes: na entrada do hidrômetro, e na saída para o esgoto. Portanto, cada litro economizado é economia em dobro!

Na construção ou reforma, opte por piso drenante: ele drena água da chuva ajudando a minimizar o acúmulo de poças e enchentes

Para economizar energia:


Abra as cortinas e janelas: Use luz e ventilação natural o máximo possível. Evite o grande vilão no consumo de energia: ar condicionado.

Abra um furo na laje e coloque um domus: Além de dar muita luz para ambientes com pouca janelas, dependendo do modelo você consegue criar uma saída de ar no alto da casa. Isso promove tanto a ventilação cruzada como o chamado efeito chaminé, onde o ar quente procura saída pelo ponto mais alto, aumentando a entrada de ar mais frio pelas janelas abaixo

Se já tiver muita luz, abra um furo na parede: A ventilação cruzada é sempre ideal para deixar a casa fresquinha e econômica. Se puder, abra uma nova janela na parede oposta às janelas existentes

Lâmpadas Ecológicas: Como alternativa ao domus, existem no mercado kits de “lâmpadas” ecológicas que conduzem luz solar por tubos até seu ambiente.

Pinte a laje de cobertura de branco: Para evitar o aquecimento de sua casa pela cobertura, pinte-a de branco. Simples e fácil.

Instale um jardim na cobertura: Também para evitar o aquecimento de sua casa pela cobertura (e ainda aliviar o sistema de drenagem urbana) instale um jardim na cobertura. Existem empresas especializadas com kits prontos, mas um bom paisagista ou jardineiro também pode ajudá-lo. Só consulte antes seu engenheiro para ver se a estrutura suporta a carga adicional. (Veja aqui como são construídos)

Instale sensores de presença: Se fizer questão daquela iluminação na calçada, instale sensor de presença com foto-célula. À noite, a luz acenderá automaticamente sempre que alguém se movimentar ao redor.

Use os interruptores de acordo com a rota de fuga da casa: Para evitar deixar luzes dos cômodos acesas, coloque os interruptores em pontos estratégicos e não espalhados pela casa. (Dica: A arquiteta Consuelo Jorge tem um interruptor do lado da cama que apaga as luzes de toda a casa)

Utilize luminárias pontuais: Evite ligar as luzes da sala toda, se estiver usando somente uma parte dela. Tenha abajures junto a sofás e escrivaninhas. Além de economizar, você deixará a casa muito mais aconchegante.

ESTEFANI MEDEIROS

Colaboração para o UOL