No banco dos réus

No banco dos réus, esse foi o lugar onde eu fui parar depois daquela madrugada fatídica em que o papo fluía aos trancos e barrancos entre eu, um amigo e mais duas amigas, depois de um filme ruim onde a falta de algo etílico pra molhar as palavras era notória até pra mim que não bebo, essa falta de cachaça tornavam as coisas ainda mais difíceis. Ainda era cedo e a noite de sexta–feira estava acabando e a madrugada de sábado dava o ar da graça. Eu percebendo que a coisa não tava fluindo, resolvo apimentar lançando ganchos pra papos mais calientes, a dona da casa, que de santa só tinha a carinha, logo decodifica a malicia em minhas palavras e entra no clima dando vazão aos papos mais picantes. Mas eu, safado como sempre, e com uma mente completamente poluída por anos de perversão só pensava em deixar todo mundo pelado dentro daquela casa, então sugiro um jogo de palitinho onde o ganhador teria seus desejos realizados seja ele qual fosse, essa foi a melhor saída, pois ninguém tava a fim de ir embora, apesar de já ser um pouco tarde sabíamos que ainda era cedo para nós, e ainda faltava o gran finale e alem de tudo a noite era uma criança, começamos então na brincadeira onde adivinhe, fui o primeiro a me dar mal, uma das garotas que nunca tinha jogado palitinho na vida toma posse da bem dita sorte de principiante e me ferra, me mandando tirar a roupa num estripe pra todos, quem foi mesmo o filho da mãe que propôs esse jogo em? blz como diz o meu amigo que também tava na bagunça: o combinado não sai caro.
Apesar do clima já esta um pouco mais ameno, ainda e notória a falta de álcool no ambiente, onde foi mesmo que deixei aquela paranga em? Pensei eu com meus botões…
Depois de eu não cumprir o desejo da vencedora, e de muita embromação da minha parte, cada um toma seu rumo dentro da pequena casa meu amigo vai com a morena cara-de-santa pra um lado, e eu fico só, com a vencedora no quarto onde ela me encosta num canto e me intima:
-Quero meu premio
Eu, como bom pagador que sou, me vejo encurralado, pois tinha plena consciência de que não tinha em minhas mãos uma mulher e sim uma moça querendo deixar de ser moça. Ai meu Deus o que é que eu faço agora? Cabe aqui uma explicação. Pois não sou de deixar ninguém falando, mas nesse caso é diferente, ela era virgem e eu não era bem o que podia se chamar de “o melhor cara do mundo pra uma primeira noite”. Esse sempre foi um principio meu “deixar as moças moça”. Mas resolvi que não era hora de ficar com grilos e lá fui eu cumprir meu papel de homem. Não, realmente não era bem isso que eu tinha em mente tentei me colocar no lugar dela e reuni ali em minha mente todas as histórias de primeira vez que já tinha ouvido nessa minha vida e tentei não fazer nada de grotesco que tinha ouvido nos relatos das mulheres que passaram pela mesma situação, enfim tentei proporcionar uma boa primeira vez a ex-moça.

No dia seguinte.

Ai foi que o bicho pegou, lá estava eu sentado no banco dos réus acusado pela minha própria consciência que apontava o dedo em minha cara e me fazia lembrar da noite anterior, me fazia lembrar daquela mancha vermelha no colchão o sangue derramado de uma virgem, eu tinha que prestar contas daquele sangue, passei o dia inteiro sendo torturado por meus pensamentos quando finalmente por e-mail recebo meu habeas-corpus que foi digitado por minha própria vitima. O no e-mail ela dizia:

“Oi gato tudo bem??? Nossa sessão de vídeo de sexta pra sábado entrou pra historia rs… Ouvindo tu falar de vc mesmo na madrugada desse sábado,confesso que vc me despertou muita curiosidade…minha cabeça foi a mil…. E as coisas tomaram o rumo do que eu realmente estava afim….. É bem verdade que houve um tempo que eu dizia q comigo rolaria só casada,mas dai o tempo passou e cheguei a pensar q isso ja nao tinha tanta importância,então qdo de repente eu namorasse (num relacionamento serio )onde estivesse só eu e a pessoa…. E nada foi como imaginei,,sem eu menos esperar,na casa de uma amiga e praticamente “ao lado de dois amigos”e com vc q tinha ficado uma única vez… O bom de tudo é que posso dizer que foi melhor do que eu imaginava… Embora eu estivesse com algumas preocupações e tensa como vc mesmo percebeu..eu estava certa de que naquele momento eu estava com vontade de vc,e que eu estava pronta pra me tornar uma mulher…Também ouço muitas dizerem q a primeira vez foi ruim …mas como nao sou muitas,nem a maioria ,com cada uma acontece de um jeito e EU SOU EU,posso dizer que gostei muito e que foi muito legal….Desculpa ai pelo trabalho que te dei,e valeu por ter sido tão paciente….rsBom demais ter passado por essa experiência com vc…VALEU MESMO POR ME FAZER MULHER…
Assinado uma nova mulher. ”

Acho que nunca um e-mail tinha tirado tanto peso de cima de minhas costas
Mas nesse e-mail também fiquei sabendo que minhas historias tinha despertado interesses escusos em minhas ouvintes.

Mas todos esses interesses seriam revelados num outro fim de semana em que nada deu certo, mas tudo que deu errado foi melhor. Mas só que isso é assutnto pra um próximo post pois já esta tarde e eu tenho que ir dormi
Beijos pra todos, fui…

Cleoci Pinheiro

Anúncios

Conflito

Olá amigos, cá estou eu novamente escrevendo sobre as coisas da vida, mas dessa vez quero falar de meus conflitos minha grande batalha como Cristão (ou pelo menos rascunho de um) e a minha ferrenha luta entre meu corpo e meu espírito, pois enquanto meu corpo (e por corpo entenda a mente controladora dessa maquina que sou “eu”) não for redimido, isto é, enquanto o que é corruptível não se revestir da incorruptibilidade, ou seja, enquanto eu não tomar jeito, haverá uma luta constante para que eu consiga fazer o bem que desejo em detrimento do mal que abomino.
“Não entendo o que faço”. Pois não faço o que desejo, mas faço o que odeio.
Deixe-me explicar, faço o que sei não ser certo fazer, pois vivo envolto por regras que me regem.
E, se faço o que não desejo. Admito que as regras que me permeiam são boas, as condutas morais que me fazem achar que o que faço não é certo são boas.
Nesse caso não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim, sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne, pois tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo fazer. E também não nego que não gosto do mal que faço pois como é do conhecimento de todos o pecado é muito gostoso o que é ruim é a conseqüência. Pois o que faço não é bem o que desejo, mas o mal que não desejo fazer, e se eu continuo fazendo. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. Quando quero fazer o bem, o mal está junto de mim. No intimo do meu ser tenho prazer nas leis que me regem ou seja na lei de Deus; mas vejo outra lei atuando nos meus membros do meu corpo ( em alguns membros com mais avidez ) guerreando contra a lei de minha mente tornando-me um prisioneiro do pecado que atua em mim”, sei que esse trecho pode parecer familiar a muitos leitores desse meu pequeno espaço mas faço minhas as palavras de Paulo pois e bem isso é o que sinto. as vezes me sinto como um louco falando sozinho no meio da rua brigando ( as vezes em voz alta) comigo mesmo no meio da rua pois sei que estou indo fazer o que não é certo mas mesmo assim lá vou eu como um sei lá o que fazer o que não se deve, mas beleza, até ai tudo bem pois acho que todo mundo tem um pouco disso , o que me deixa puto da vida é pessoas que vêem me dizer que não devo fazer certo tipo de coisas não que eu seja um rebelde que não queira ser regido por limites nem queira respeitar regras nenhuma mas “pô” pera la não suporto certas frases do tipo ” vou te entregar na mão de Deus” ou “vou falar com Deus a seu respeito” isso me da uma impressão de que essa pessoa vai se mancomunar com Deus contra mim , como se ela (a pessoa) fosse um preferida de Deus e eu a ovelha negra do imenso rebanho divino e que Ele (Deus) fosse se virar contra mim com todo seu furor e ira só por que ando cometendo pecados que faz parte da minha humanidade que Ele mesmo fez e Ele sabe muito bem como eu sou, Ele conhece desde o ventre de minha mãe (uma das mancomunadas) e sabe de toda minha (in)capacidade de servi-Lo e também de infringir suas regras pré-estabelecidas. Por isso querido leitor, se você me quer bem, me ajude, não peço que faça nada, só não me criticando já estará me ajudando muito, se possível me ajude em oração, em suas conversas particular com Deus fale de mim, mas não me cagüetando como se eu fosse o maior pecador do mundo e você a pessoa mais santa da Terra, fale de mim pra Deus e diga: olha Senhor ali esta o Cleoci, ele esta tentando, de força pra ele, capacita-o pra que ele possa te servir como manda o figurino, e livra-o do mal amem.

Cleoci a tróis

Olá amigos, hoje venho aqui pra falar… Bem, nem sei ao certo por onde começar, mas vou meter o dedo nesse teclado aqui pra tentar registrar tudo que me aconteceu na noite de ontem.

Estava eu aqui na frente do micro como de costume depois de um árduo dia de trabalho sem porra nenhuma pra fazer só esperando a hora de ir dormir quando resolvi entrar no msn, ali estavam alguns amigos “on” mas nenhum que me instigasse para um papo ferrenho madrugada a dentro, então resolvo dar um ‘OI’ pra a mais interessante das que estavam “on” era uma amiga de longa data que eu já tinha tido uma história com ela, inclusive ela vai dar um trabalho danado para o meu biógrafo sempre digo isso a ela,

Começo eu:

-Oi moça

-Oi

-que faz da vida?

-estou vendo um cara fazer um estripe pra mim na cam

-aff, ta se acabando na siririca.

-não , só faço isso pra vc.

-por falar nisso, demorou pra gente repetir a dose Já faz tempo desde a nossa ultima vez.

-vc quer? Esta com saudade?

-isso é um sim ou um não?

-estou saindo pra balada agora, vamos?

-há to fora, já é tarde e amanhã eu trabalho.

-vou só eu e uma amiga de repente até rola algo mais.

-me pega em meia hora…

E assim sem muita insistência acabei me enfiando numa balada eletrizante pra começar bem 2008

Mas que depressa fui tomar um banho e me arrumar

No horário combinado elas estavam em frente minha casa me chamando com uma buzininha marota que parecia conter em seu som a frase “venha se deleitar em nossos braços”

Minha mãe, ficou P da vida ao ver o carro com as gatas encostado em frente minha casa, desci correndo as escadas e enquanto minha mãe dizia impropérios e tentava me fazer lembrar que eu era um rapaz de origem Cristã e tanto eu quanto minha mãe sabíamos que a noite prometia não seria nada santa.

Pulei pra dentro do carro atropelando a moça que eu ainda não conhecia e falei pra amiga que estava ao volante

-vaza daqui

Ela saiu correndo enquanto falava ao celular com o pobre coitado da cam que ainda insistia com esperanças de vê-la pela web.

Poucos metros depois de virarmos a esquina de minha casa é que foram feitas as devidas apresentações, paramos no posto de gasolina, pra numa loja de conveniências nos abastecermos de bebida e cigarros para a noitada, minha amiga mais antiga desceu do carro e foi até o loja de conveniências e quando voltou já me viu aos beijos com a recém conhecida , e já entrando no espírito da noite brincou:

-Eu também quero o meu.

E me tascou um baita beijo, para o delírio dos frentistas que ficaram olhando a cena de boca aberta a me ver sendo agarrado por duas gatas disputando minha boca.

E assim seguimos até nosso destino. Foram os 30kms mais gostoso que já percorri, finalmente chegamos a dita balada, lugar maneiro com muita gente bonita e bastante animado pra uma noite de terça-feira. Entramos e logo fomos recepcionados por uns paga-pau da minha amiga1 que mal se deram conta de que tinha um homem acompanhando elas , mas enfim como eu era o estranho no ninho me fiz de Mane. Procuramos um cantinho pra nos encostarmos, pois já era por volta das 23:00 e a casa já estava lotada, logo me impus dando um beijo nas duas e mostrando pra os gaviões de plantão quem mandava no pedaço, ninguém entendeu nada mas blz

Seguimos a noite regados com algumas cerveja e muita fumaça de cigarro , e já a essa altura ninguém alem de nós três estava entendendo mais nada , com qual mina essa cabeludo esta afinal? Perguntavam-se os gaviões de plantão.

Mas pra manter intacta a reputação da minha amiga1 que era freqüentadora da casa , eu mantive-me mas envolvido com a outra amiga2. O que foi suficiente pra um batalhão de gaviões atacarem a presa solta. Fui consolado pela amiga2 que tinha ficado comigo:

-não esquenta no final da noite quem vai liquidar a fatura será você mesmo, deixa eles caírem matando em cima, essa noite você será só de nós duas.

E assim seguimos a noite com muita dança e bebida e indagações dos que estavam a volta de quem era esse cabeludo? , o que ela tem que nós não temos? Será mesmo que estamos vendo isso? Até que então lá pelas 3 da madruga decidimos procurar um lugar mas reservado pra continuarmos nossa brincadeira , depois de um certo desacerto em nossas comandas ( 9 cervejas a mais) saímos em busca do tal ninho da perversão.

Amigos leitores, eu achei que já tinha descrito os melhores 30 kms da minha vida mas aquilo tinha sido só o rascunho do que seria a volta

Vivi um verdadeiro paraíso sob rodas de Pinheiros até Perus, eu sentado no banco do passageiro enquanto minha amiga1 dirigia a uma velocidade media de 20 a 30 km por hora eu era masturbado por ela enquanto era beijado e acariciado pela amiga2 que estava no banco de traz , paramos em mais um posto de conveniência pra mais uma rodada de bebida e cigarros e mais uma vez fui alvo da inveja notória de frentistas noturnos. No meio do caminho uma parada estratégica pra troca de motorista pra podermos entrar sem maiores problemas no motel eu fui pra o banco do piloto enquanto minha amiga 1 se enfiava de baixo dos bancos do carro. Mas todo esse esforço de se disfarçar foi por água abaixo quando começou realmente a brincadeira.

Dentro do quarto, fizemos um pacto sem palavras de deixarmos todo o pudor do lado de fora e assim foi.

E começamos enfim a nossa brincadeira e três.

Minha língua misturada a mais duas língua feminina, uma sai deslizando pelo meu corpo enquanto uma outra já tem um destino certo abaixo da minha cintura e daí pra frente num sincronismo perfeito tivemos uma noite perfeita de sexo onde toda vontade foi extravasada e nenhum desejo foi reprimido. As 8 da manhã acordei tendo a certeza de que tinha tido a melhor noite de sonhos de minha vida.

Cleoci Pinheiro.