7 hábitos diários que vão levar você ao sucesso em vendas

O sucesso nas vendas depende da atitude dos vendedores. Conheça 7 hábitos que vão ajudar você a trilhar o caminho da excelência

Escrito por
Gustavo Paulillo

Se você tiver o melhor processo de vendas do mundo, tecnologia, planilhas, scripts de vendas e marketing, você ainda vai falhar se não tiver força emocional para vender.

E a sua atitude, juntamente com o preparo emocional, é muito importante para que você consiga atingir seus objetivos, conquistar novos clientes, e obter sucesso em vendas.

Por isso, você não pode se contentar apenas em ter o melhor background de vendas.

Você precisa ser a sua melhor arma de vendas, com comportamentos e atitudes que seja favoráveis ao sucesso.

Jeff Keller é autor do best-sellerAttitude Is Everything”, e descreveu as emoções que os melhores vendedores devem cultivar, e tornar um hábito para terem o verdadeiro sucesso em vendas.

Você pode fazer uma lista desses mandamentos e colocar na sua cabeceira, para que eles sejam a primeira coisa que você vê ao acordar, ou colar no espelho, para que você revise os comportamentos que deve treinar, enquanto troca de roupa.

Sem a atitude certa, você não vai conseguir ser um vendedor de sucesso.

Sem a atitude certa, você não vai conseguir ser um vendedor de sucesso.

#1. Ser paciente

Cada cliente tem a sua própria maneira de tomar suas decisões. Eles têm o seu processo e sua velocidade na hora de decidir.

Encurralar ou pressionar seus clientes para comprar é como puxar as mudas de uma planta para que ela cresça.

Enquanto você estiver disposto a ajudar um cliente, você deve se recusar a ficar frustrado quando eles não compram tão rápido como você queria.

A paciência vai ajudar o vendedor a enxergar o momento exato de pedir a venda. E, por conta disso, ele vai conseguir a venda que os outros não conseguem.

Espere pela hora certa. E só nesse momento aja.

#2. Seja comprometido

Os clientes precisam confiar que você está disposto a fazer o que for preciso (legal e eticamente) para que eles sejam bem sucedidos.

Por isso, o vendedor deve acompanhar seu cliente, independente dos compromissos que ele tenha, até garantir que ele tenha feito a melhor escolha possível.

Um bom vendedor não vai desistir até que esteja claro que você não pode ajudar o seu cliente.

O vendedor precisa estar comprometido com ele mesmo e com o cliente.

Porque se ele está comprometido apenas com ele mesmo, esquece de servir o cliente, e se está comprometido apenas com o cliente, esquece a hora de parar, a hora de ceder, ou até mesmo, a hora de dizer não.

Você precisa fazer de tudo para ajudar o seu cliente.

Você precisa fazer de tudo para ajudar o seu cliente.

#3. Fique entusiasmado

O entusiasmo é contagiante, e por isso você precisa estar entusiasmado consigo mesmo, com a sua empresa, produto e clientes.

Para se manter entusiasmado, coloque em prática o seu desejo de ajudar as pessoas a melhorarem suas vidas, e assim, criar mais riqueza e sucesso para todos.

É justamente o seu entusiasmo quando fala do seu produto, da sua solução e de tudo que pode fazer para ajudar o seu cliente que vai contagiá-lo para que ele queira saber mais sobre o que você faz.

Isso vai ajudar você a seguir em frente: porque os vendedores de verdade exalam entusiasmo contagiante sobre o que fazem.

#4. Seja curioso

Ser curioso significa estar vivo para os mistérios e enigmas da vida. Cada cliente e cada situação é diferente e tem algo importante para ensinar.

Por isso, é preciso manter olhos e ouvidos abertos para qualquer conhecimento que possa ajudar qualquer vendedor a servir melhor e ajudar os clientes a serem bem sucedidos.

A curiosidade vai ajudar você a manter sua inteligência em dia, se manter à frente da concorrência, e principalmente ser um verdadeiro portador das boas novas, que deve ser a missão de todo vendedor.

#5. Seja corajoso

Como vendedor, você precisa ter a coragem de assumir os riscos necessários para expandir o seu negócio, mesmo em face de enormes probabilidades.Não sacrifique suas metas e ambições para conseguir uma falsa sensação de segurança.

Não tome o caminho mais fácil quando sabe que o caminho mais espinhoso vai levar você para seus objetivos.

Os atalhos sempre vão levar aos lugares onde as pessoas já estiveram. Pegue o caminho mais difícil, aprenda a vencer o medo, e não se deixe vencer.

A curiosidade vai ajudar você a se transformar em uma pessoa melhor.

A curiosidade vai ajudar você a se transformar em uma pessoa melhor.

#6. Seja franco

Não separe seu propósito de suas verdadeiras motivações. Seja honesto com seus clientes e colegas, mesmo quando estiver em desvantagem.

Nunca use táticas de manipulação para enganar os clientes, manipulá-los, ou até mesmo fazê-los comprar, mesmo sem necessidade.

A verdade será o seu passaporte para conquistar o respeito de seus clientes, e vai fazer você abrir novas portas.

#7. Seja flexível

A vida é sobre mudanças: nada permanece o mesmo. Seja flexível, de modo que você possa observar aquilo que está funcionando e o que não está.

Mude a sua abordagem para coincidir com mudanças de circunstâncias.

Feito isso, adapte-se para que possa atender melhor às necessidades de cada clientes. Afinal, é justamente a capacidade de se adaptar a cada cliente que vai possibilitar o seu crescimento.

Como já dizia o famoso ditado: adapte-se, ou morra.

7 hábitos diários que vão levar você ao sucesso em vendas

7 hábitos diários que vão levar você ao sucesso em vendas

Você está pronto para praticar?

Um comportamento demora um certo tempo até se tornar um hábito. É preciso praticar diariamente, relembrar diariamente o que você deve fazer para conseguir vender melhor.

Só assim um vendedor estará no caminho do aprimoramento e da melhoria contínua, e a melhoria contínua é o único caminho até o sucesso.

Você não poderá ser melhor que outros vendedores, se não praticar mais que todos eles.

Não vai conseguir ser mais produtivo, se não produzir mais.

Não vai conseguir entregar mais resultados, se não se dedicar mais.

Não vai conseguir atingir seus objetivos, se não se especializar mais.

Não há caminho fácil nas vendas. É justamente quando um vendedor faz o que precisa ser feito para se diferenciar diante de seus clientes, que seus clientes lhe dão valor.

E, esse caminho é um caminho de melhoria e prática diária de novos hábitos, visando um novo comportamento, para novos resultados.

É justamente isso que precisa ser feito.

Anúncios

Afinal, o câncer é mesmo uma questão de azar?

c1400cce2809180fc5d789e30c07d682.png

Uma pesquisa divulgada no fim do ano passado causou polêmica ao afirmar que a "má sorte" é um dos fatores que mais causam câncer, mais até do que riscos conhecidos, como o hábito de fumar. Desde então, houve uma onda de críticas ao estudo americano, conduzido por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins e da Escola de Saúde Pública Bloomberg.

Algumas das críticas eram direcionadas aos pesquisadores. Outras, aos jornalistas.

Então as matérias sobre o estudo exageraram? O que deveriam ter dito?

A maioria das manchetes na época giravam em torno de algo como "Maior parte dos casos de câncer é causada por simples azar", inclusive a da BBC Brasil.

Inicialmente, para entender o estudo, publicado na revista científica Science, ajuda muito entender a ciência básica por trás do câncer.

A doença ocorre quando células em uma parte específica do corpo começam a sofrer mutações e se reproduzirem incontrolavelmente. As células cancerígenas podem invadir e destruir tecidos.

Fatores Ambientais

Os pesquisadores da Johns Hopkins afirmaram ter encontrado uma correlação entre o número de divisão celular que ocorre em um determinado tecido e a probabilidade dele se tornar cancerígeno.

Eles analisaram 31 tipos de tecido. "Alguns eram bastante estáveis, como o muscular e o cerebral, que não se dividem quando param de se desenvolver", disse P Z Meyers, biólogo da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos.

"Então, eles têm uma baixa probabilidade de desenvolverem um câncer, enquanto o revestimento epitelial do intestino está constantemente se regenerando. E essas células têm uma maior probabilidade de se tornarem cancerígenas"

Se você fuma, você aumenta em muito a chance de ter câncer de pulmão. Outros fatores comportamentais e ambientais são conhecidos por causar esse e outros tipos de câncer.

Mas algumas pessoas que não fumam também desenvolvem câncer. Além disso, outros fatores ambientais e genéticos não têm impacto em outros tipos de câncer.

Assim, quantos dos casos de câncer são causados por um erro aleatório na divisão celular?

Os pesquisadores dizem que calcularam esse porcentual e chegaram à conclusão de que dois terços (65%) "das diferenças em risco de se desenvolver câncer em diferentes tecidos" se deve à divisões celulares que deram errado, ou seja, "azar".

Muitos veículos concluíram que isso significava que dois terços dos casos de câncer eram resultado de uma divisão celular desordenada. Não era isso que a pesquisa dizia.

No entanto, para muitos, não ficou claro o que a pesquisa dizia exatamente.

Ao que os 65% se referiam exatamente? A explicação mais provável é a de que os pesquisadores se referiam à correlação entre divisão celular em diferentes tipos de tecido e à tendência desse tecido de desenvolver um câncer.

Críticas de todos os lados

Se você imaginar um gráfico, teria todos os diferentes tipos de câncer com a frequência de divisão em um dos eixos e a frequência do câncer em outro.

Se os pontos fossem marcados por todo o gráfico, você diria que não há relação entre divisão celular – o que os pesquisadores chamam de má sorte – e o câncer.

E se todos os pontos se alinhassem perfeitamente, haveria 100% de correlação entre divisão celular e câncer.

A resposta que os pesquisadores encontraram parece está em algum lugar no meio do caminho dessas duas possibilidades: os pontos no gráfico se alinham razoavelmente, então, a taxa de divisão celular é 65% relacionada à taxa de câncer.

Mas, se isso estiver certo, também haveria críticas sobre o método de pesquisa.

Os autores do estudo não puderam dar uma entrevista à BBC, mas disseram que estão escrevendo um estudo técnico para esclarecer o estudo inicial.

Então quem culpar pelas manchetes confusas? O epidemiologista George Davey-Smith, da Universidade de Bristol, argumenta que não se pode culpar jornalistas de sites, TVs e jornais da grande mídia.

A manchete do próprio editorial da revista Science, ele lembra, era "a má sorte do câncer", sendo que em seguida lia-se: "Análise sugere que maioria dos casos não pode ser prevenidos." "Então, não é justo culpar os jornalistas – eles apenas copiaram o que a revista e o realease diziam."

Mas se as manchetes eram enganosas, o estudo também foi alvo da mesma crítica, Segundo P Z Myers. "A importância do estudo é que ele diz, sim, que se você tem câncer, você não devia se culpar por isso. E acho que isso é algo que as pessoas que têm câncer gostariam de ouvir."

*Está notícia foi publicada pelo G1