Como fazer seu currículo: modelos originais de curriculum vitae e dicas de preenchimento

por Augusto CamposCarreira, no efetividade.net

Currículo é o documento essencial ao procurar emprego, no qual são preenchidos de forma clara e resumida dados sobre características pessoais, formação/escolaridade, experiência profissional e atividades anteriores de um candidato a emprego, atividade de autônomo, ou cargo específico.

Como fazer o curriculo? Essa é uma dúvida comum, e oferecer um bom modelo de curriculo (curriculum vitae ou CV) que possa ser preenchido pelo candidato a um emprego (com ou sem experiência profissional já bem estabelecida) ou estágio costuma ser uma boa primeira resposta.

Mas muitas pessoas em busca de uma vaga ou de uma oportunidade para entrevista caem em uma armadilha comum: repetem sempre os mesmos batidos modelos de currículo criados em mil novecentos e máquina de escrever sem tinta e assim parecem apenas “mais um na multidão” desde o primeiro momento em que o recrutador tem contato com suas informações.

É por isso que o Efetividade.net vai adiante: além de oferecer modelos de currículo gratuitos e originais como o da imagem acima, ainda explica como você deve preenchê-los e personalizá-los para se destacar sem passar dos limites, garantindo maior chance de obter atenção positiva do seu futuro empregador.

E o modelo de currículo grátis do Efetividade que você virá a seguir é tão representativo do visual de um currículo moderno que foi o escolhido para ilustrar o conceito na revista Veja, em uma matéria sobre empregabilidade na edição 2065.

CV para preencher

Na imagem ilustrativa acima, você pode notar que preenchemos com os dados de uma pessoa com nível superior completo e alguma experiência profissional. Mas o mesmo modelo serve também para outras situações, como a do exemplo abaixo:

Note que agora se trata de uma pessoa que está cursando o ensino médio e tem alguma experiência e formação compatíveis com esta realidade – e valorizou experiências complementares, como a organização do campeonato de futebol do bairro e a comissão de formatura da escola.

E para criar este segundo currículo, bastou baixar o modelo gratuito abaixo e digitar as informações, sem nenhuma complicação!

Modelo de currículo para download

Este modelo de currículo versátil nasceu da minha própria experiência: já analisei muitos currículos mal produzidos encaminhados para vagas diversas (nível médio, nível superior, tecnológico, administrativo, …) que me coube selecionar, e desde então procuro fazer minha parte para que candidatos realmente interessados em um primeiro emprego, emprego temporário, estágio ou mesmo recolocação possam ter alguma referência 😉


Clique para baixar o modelo acima para editar no seu computador

Comece fazendo o download do modelo acima, que foi desenvolvido originalmente aqui pelo Efetividade.net e é exatamente o que recebeu destaque na revista Veja.

Currículo para baixar

O arquivo também está disponível para download em vários formatos diferentes que você pode escolher:

Versões alternativas:

Em todos os formatos, este é um modelo de apenas uma página, ideal para quem está em busca do primeiro emprego ou recolocação.

Note que na formatação do nosso modelo de currículo já foram tomados cuidados especiais para evitar o efeito de “folha vazia”. A margem esquerda foi ampliada, os títulos das seções estão dentro de células que ocupam a boa parte da linha, e outros truques tipográficos foram empregados para garantir de forma harmoniosa o preenchimento do espaço. Os truques óbvios, que saltam aos olhos de qualquer avaliador – como aumentar o tamanho da fonte e o espaçamento – foram completamente abandonados.

O que preencher no currículo: dica importante

Além de ver nossas dicas sobre o que escrever no curriculo, caso você sinta que não tem dados suficientes para “rechear” seu currículo, siga a dica dos profissionais para aumentar sua empregabilidade e imite o exemplo do estudante secundarista do exemplo acima: participe como voluntário de atividades comunitárias de sua região ou se esforce para participar de eventos promovidos pelo SENAC, SENAI, SEBRAE ou outras entidades de fomento ao mercado.

Fazendo isso o seu currículo automaticamente irá se enriquecer com a menção a atividades em equipe, oportunidades de aprendizado, formação da liderança, comunicação e mais – gerando uma vantagem em relação aos seus demais colegas que estão na mesma busca, mas cujos currículos permanecem um grande vazio.

Quem está procurando emprego sem experiência e busca se diferenciar da multidão pode seguir nossas dicas específicas para o caso, e o mesmo vale para quem está procurando retornar ao mercado de trabalho.

Dica extra: Se você quiser usar este modelo e souber formatar textos, o ideal é que você apenas o visualize (preferencialmente o PDF) e construa o seu próprio arquivo a partir dele, para que não seja idêntico ao de mais nenhum candidato à mesma vaga. Mas se você não dominar a técnica, sinta-se à vontade para preencher diretamente no nosso arquivo, que você já estará muito bem ツ

Após preencher seus dados, veja as dicas adicionais destes artigos:

Veja também o outro modelo original de currículo do Efetividade.net: “Modelos de curriculum grátis para download – parte 1: primeiro emprego

E se você busca informações sobre currículo sem experiência, veja o modelo específico disponível acima, e leia também os artigos “Currículo sem experiência” e “Emprego sem experiência? Existe solução“.

Este artigo estava postado originalmente no efetividade.net e disponibilizei aqui por achar o tema relevante.

Anúncios

Dicas para escolha do ERP ideal para sua empresa

Escolher o sistema de gestão empresarial (Enterprise Resource Planning – ERP) é uma decisão importante. Em geral, podemos dizer que a solução ERP é a espinha dorsal dos negócios -, e fazer a escolha certa pode significar a diferença entre superar a concorrência ou se tornar obsoleto. Portanto, é imperativo fazer as perguntas certas para ter a avaliação adequada.

Seguem abaixo 10 perguntas básicas que, se respondidas cuidadosamente, podem contribuir para você fazer a melhor escolha. Para ajudar, também são apresentas algumas considerações que precisam ser levadas em conta ao responder cada questão.

1. O sistema ERP se adéqua à maneira como a empresa trabalha ou será necessário alterar processos? Considerações: Tenha em mente os processos básicos de negócios com que a nova solução ERP deverá trabalhar: Contabilidade, Finanças, Manufatura, Cadeia de Suprimentos, Gestão de Projetos, CRM, Business intelligence & Relatórios, Recursos Humanos & Folha de Pagamento. As soluções ERP disponíveis atualmente cobrem essas áreas funcionais de diferentes formas e em diferentes graus. Certifique-se de que o sistema ERP que você escolher necessita de muito pouca personalização para se alinhar aos processos de negócios, particularmente os de missão crítica. Não se contente com soluções que o obrigue a alterar a forma como sua empresa trabalha para caber dentro de seus próprios parâmetros. E avalie o porte de clientes que cada fornecedor atende. Alguns afirmam que suas soluções são ideais para pequenas e médias empresas, mas um olhar mais aprofundado sobre sua base de clientes sugere que sucesso desse fornecedor depende de grandes companhias. Pense no que isso pode querer dizer sobre o compromisso dele de longo prazo com seus negócios.

2. A solução oferece a flexibilidade para ser implantada localmente e na nuvem ou em ambientes combinados? Considerações: Dependendo das demandas de negócios atuais e futuras, os dois modelos de implantação oferecem vantagens. A computação em nuvem merece atenção porque oferece muitas possíveis vantagens, entre eles menor custo inicial e menos tempo para colher benefícios; poucos requisitos de hardware; gerenciamento mais simples; capacidade de se adaptar a diferentes cargas de cargas ou crescimento rápido. Por outro lado, manter um sistema ERP localmente também tem suas próprias vantagens, como melhor integração com outros sistemas de negócios; maior flexibilidade para personalização e controle sobre os dados.

Resumo: o que é melhor para outras empresas pode não ser o melhor para seus negócios. Portanto, se você decidir que a nuvem é ideal para sua solução ERP, avalie cuidadosamente os prós e os contras dos modelos de hospedagem público e privado – investigue os provedores em termos de estabilidade, oferta de serviços, SLAs (contratos de nível de serviço), histórico, reputação de atendimento ao cliente, entre outros elementos. Em outras palavras, não deixe que apenas o lado financeiro conduza a tomada de decisão.

3. Qual modelo de implementação é o melhor para os negócios? Considerações: Quando se pensa em soluções ERP na nuvem, podemos ver diferenças entre os modelos público e privado. As nuvens públicas são mais interessantes do ponto de vista de custos iniciais, mas as nuvens privadas, em geral, oferecem mais segurança, flexibilidade de personalização e possivelmente menor custo total de propriedade ao longo do tempo. Combinar os pontos fortes de cada modelo para criar a melhor solução ERP para os negócios é onde entra o modelo híbrido. Veja o que diferentes modelos de implantação podem garantir para diferentes requisitos.

  • Recuperação de desastres, tempo de atividade e backup de dados: se seu ambiente competitivo não permite erros, você provavelmente vai ter mais benefícios com uma implementação local ou uma solução de nuvem privada para dados de missão crítica.
  • Controle de dados: implantações locais de ERP garantem mais controle, mas também podem ser caras. Não exclua as soluções baseadas na nuvem pelo fato de estar preocupado com controle dos dados; apenas se certifique de escolher um provedor que ofereça o controle de que você precisa. Por exemplo, entre outros pontos, discuta com ele se os dados seriam removidos da nuvem caso decidir mudar para uma solução local.
  • Considerações financeiras: o modelo escolhido certamente trará implicações financeiras – curto versus longo prazo, custo fixo versus variável, relacionadas à despesa versos relacionadas a capital. É importante manter isso em mente ao escolher a solução adequada para os negócios. Soluções na nuvem apresentam custos iniciais e despesas de capital mais baixos e a oportunidade de mover os custos fixos para a categoria variável. Já a implantação local pode levar a um custo total de operação maior, especialmente nos primeiros anos, mas garante níveis mais elevados de segurança, controle de dados e outras medidas. A chave é negociar cuidadosamente com os fornecedores de soluções na nuvem. Tente conseguir a maior parte ou a totalidade dos "pontos fortes de uma implementação local" que são importantes para os negócios, por menos do que custaria um sistema local.

4. Como a solução se integrará com outras aplicações de negócios? Considerações: Muitas empresas precisam integrar a nova solução ERP com outro software de negócios para, por exemplo, ser capaz de processar a folha de pagamento ou transações de comércio eletrônico. Então, não se esqueça de avaliar quanto trabalho da área de TI e quais serão os custos para que outros sistemas de missão crítica trabalhem corretamente com a nova solução ERP. A escolha correta é aquela que oferece flexibilidade e facilidade de integração com outros aplicativos ou fontes de dados. Alguns fornecedores de ERP podem sugerir que a maneira de a complexidade da integração e os custos é simplificar os processos que deseja integrar. Tenha cuidado aqui. A simplificação pode ajudar em um ponto, mas os processos podem não atender às necessidades dos negócios ao final do dia.

5. A solução ERP vai ajudar a maximizar os benefícios em relação a outras tecnologias? Considerações: É preciso levar em conta que se a solução ERP for baseada na mesma plataforma usada pela empresa, a integração provavelmente será mais simples e o tempo para colher os benefícios será encurtado. Em resumo, escolher uma solução ERP que funciona com as plataformas e as ferramentas de produtividade já adotadas pela empresa vai gerar um novo nível de valor para todos eles. Em outras palavras, o todo será maior que a soma das partes.

6. A solução oferece um modelo de custo previsível? Considerações: Ao comparar soluções de ERP diferentes, é necessário compreender e avaliar inteiramente a previsibilidade dos custos de cada opção, sobretudo nos anos futuros. A solução que oferece o menor custo agora pode se mostrar a escolha certa, mas e se surgirem novas necessidades ou se os negócios crescerem rapidamente? É possível prever com precisão o impacto dessas mudanças nos custos do ERP? O resultado será aceitável?
Muitas soluções do tipo SaaS (Software-como-serviço) ou baseadas na nuvem oferecem maior previsibilidade de custos do que as locais devido à flexibilidade de licenciamento e as taxas de assinatura com base no uso. Se você negociar com cuidado, poderá garantir que as atualizações, correções de software, contratos de níveis de serviços e alta disponibilidade sejam incluídos na assinatura, garantindo maior previsibilidade. Apenas atente para os descontos no primeiro ano que podem desaparecer posteriormente, especialmente com os fornecedores de nuvem pública que controlam seus dados.
Soluções na nuvem também podem crescer rapidamente, ajudando a evitar despesas com hardware equipes quando a demanda crescer inesperadamente.

7. Quão estável é o fornecedor e como ele atende clientes como sua empresa? Considerações: A nova solução ERP terá potencial para uma vida longa e produtiva de trabalho. E o que acontecerá se o fornecedor abandonar o segmento ou for adquirido por outra empresa? Muita coisa pode mudar. Onde você terá conseguirá suporte? Quem irá ajudá-lo para integrar novas aplicações de negócios? Você será capaz de atualizar o sistema ERP ou ficará confinado a tecnologias cada vez mais ultrapassadas sem suporte? Pior ainda, e se o novo proprietário deixar de investir no produto?
Também é importante entender como sua empresa se encaixa no perfil de cliente de cada fornecedor. O setor de atuação e o porte da sua empresa são parte importante dos negócios do fornecedor? Se o fornecedor tem um histórico de atender empresas como a sua, vai entender como funciona seu negócio e poderão atender às suas necessidades com eficiência.

8. Que roteiro de evolução e investimentos de P&D o fornecedor tem previstos para os sistemas ERP? Considerações: Fornecedores que operam sem uma visão tecnológica e um roteiro de evolução documentado podem ser considerados estáveis hoje, mas correm o risco permanente de serem superados no futuro. Escolher uma solução ERP de um fornecedor preso ao passado ou apenas ao presente pode também comprometer o futuro da sua empresa. Certifique-se de que a implementação de ERP escolhida será capaz de crescer e se adaptar às mudanças nos seus negócios, mas também às mudanças no cenário global tecnológico e de negócios. Procure um fornecedor com um histórico de versões consistentes e os avanços tecnológicos.

9. Como são avaliados os serviços pós-venda do fornecedor? Considerações: Os serviços pós-venda são fundamentais para o êxito da implementação de um sistema ERP. Também são essenciais para ajudá-lo a obter o máximo dos investimentos em ERP ao longo do tempo. Novas regras fiscais vão surgir. Você pode expandir sua linha de negócios ou criar mais filiais. Como a solução ERP é a base dos negócios, é importante escolher um fornecedor que não só ofereça os recursos necessários agora, mas que também ofereça serviços e suporte após a venda.
Pergunte aos fornecedores de soluções ERP sobre o escopo e os custos dos planos de suporte, bem como referências dentro da base de clientes. Além disso, questione sobre a taxa de rotatividade de clientes: eles estão perdendo clientes mais rapidamente do que ganhando? Clientes infelizes abandonam fornecedores que são acessíveis e ágeis antes da venda, mas que se tornam difíceis de localizar e trabalhar depois que o contrato é assinado.

10. A solução ERP apoiará suas aspirações de crescimento? Considerações: Se você está buscando um novo sistema de gestão de negócios, provavelmente a solução atual não é mais capaz de atender às suas necessidades. Pode realizar o trabalho básico, mas não de maneira eficiente ou econômica. Pode estar também criando barreiras para o crescimento: baixo desempenho ou limitações de transações ou. Ou talvez prejudicando a capacidade de tomar decisões de negócios sólidas e rápidas. Então, o novo ERP deve ajudar seus negócios crescerem de três maneiras importantes: adaptar-se às mudanças nas demandas; economizar tempo e dinheiro; permitir que sua empresa se concentre nos negócios e não nas operações de TI.

As 5 coisas que deve saber sobre Facebook Timeline

Por Jon Accarrino

Na sua mudança de layout terceira maior, Facebook oficialmente transferida páginas dos usuários de perfil para um novo layout chamado Timeline há alguns meses. Mas atrasou a transição para as páginas da marca para 30 de março.

O atraso para as marcas era dar-lhes um tempo extra para atualizar suas páginas e aplicativos. Mesmo que o Facebook foi lembrando marcas durante meses, ele aparece por toda a confusão na semana passada que a migração forçada para Timeline ainda pegou muitas empresas de surpresa.

Aqui estão as cinco coisas que todos os administradores do Facebook de página marca precisa saber quando se trata de Timeline:

1. Novos layouts e tamanhos de imagens, aplicações e conteúdo

Se você tem indicadores visuais como imagens de setas apontando para o botão "like" de sua página do Facebook, então você provavelmente vai precisar atualizar ou excluir estes o mais breve possível. Com Timeline, suas flechas incentivando os usuários a como sua página provavelmente está apontando para o lugar errado ou deixou de fazer qualquer sentido.

Aplicativos existentes também precisam ser atualizados no recurso de perto para tirar proveito de novas opções de dimensionamento. Aqui está uma lista acessível de novos tamanhos Timeline relacionados pixels:

Fotos da capa: 851 x 315

Fotos de perfil: 180 x 180

Apps: 851

Apps imagens em miniatura: 111 x 74

Em destaque e imagens marco: 843 x 403

2. Estrategicamente usando fotos do Facebook de capa

Agências como a minha na Definição 6 estão estrategicamente usando o recurso do Facebook nova foto de rosto para destacar o conteúdo superior para nossos clientes. Por exemplo, em Lawyers.com (um site LexisNexis) estamos usando a foto da capa do Facebook para promover o que o blog destaque do dia é: http://www.facebook.com/lawyerscom

O que descobrimos foi que os usuários do Facebook não estão familiarizados com o layout do Facebook Timeline novo foram clicando a foto da capa pensando que era o conteúdo interativo. Infelizmente, não é. É apenas uma imagem. No entanto, quando um usuário clica em uma imagem, a imagem aparece em "modo de teatro" do Facebook para exibir gostos e comentários para essa imagem. Depois de notar essa tendência de comportamento, fomos capazes de rapidamente capitalizar sobre ela. Temos a certeza que todas as imagens estão sendo usados ​​como imagens foto da capa continha uma descrição detalhada e incluiu um link para o artigo em destaque. Como resultado, estamos usando a foto da capa não apenas para reforçar a marca e mensagens, mas também para ajudar a direcionar o tráfego.

3. Choque App

Infelizmente, as marcas que muito dependiam de aplicativos vai estar em uma espécie de choque. Antes de Timeline, todos os seus aplicativos (anteriormente chamado de guias) foram listados no lado esquerdo de sua página do Facebook. Mas com o cronograma, as páginas de marca pode mostrar apenas quatro aplicações sob a cobertura de fotos e Facebook exige um deles para ser fotos. Isso significa que você tem apenas três faixas de aplicativos inicialmente visíveis para o seu público e precisa usar este imóvel sabiamente. Os usuários podem ainda alternar um dropdown para ver sua página todos os aplicativos da marca (Facebook permite um máximo de 12), mas como um negócio, você precisa considerar com cuidado o valor de criar mais aplicativos do Facebook, que três são exibidas, e quando eles são exibidos.

4. Maior foco no conteúdo

Uma maneira marcas terão de se adaptar à Linha do Tempo é, concentrando-se mais no conteúdo e menos dependente de apps. Layout do Facebook Timeline novo coloca o foco muito mais sobre o conteúdo no seu cronograma de seus aplicativos. Pequenas empresas podem usar esta mudança como uma oportunidade. Enquanto eles não poderiam ter sido capaz de competir com as grandes empresas com orçamentos grandes app, o foco maior Timeline sobre conteúdo ajuda a nivelar o campo e dá empresa de pequeno porte mais oportunidades para se comunicar com os fãs e clientes.

Uma das minhas coisas favoritas sobre Timeline é a habilidade de facilmente mostrar a história da sua marca. Mesmo se sua empresa não tenha sido em torno de centenas de anos, você ainda pode usar esse recurso para comunicar as mudanças e evolução do seu negócio ou indústria. Ele não apenas tem que ser chato como datas quando sua empresa foi fundada. Seja estratégico e criativo. Por exemplo, para ajudar a atender o seu recrutamento e objetivos de retenção, pense sobre como adicionar conteúdo datado para o seu cronograma empresa como fotos dos empregados das partes engraçadas das suas férias, anúncios de promoção dos funcionários. e fotos de animais de estimação escritório (se o seu pequeno negócio é pet friendly).

Por exemplo, Definição 6 clientes Coca-Cola e Raymond Weil ambos têm preenchido Timelines do Facebook. Se você ainda sente que você não tem o suficiente para preencher uma história convincente Timeline, então talvez você deve considerar usar o seu cronograma de mostrar liderança de pensamento em sua indústria. Por exemplo, confira Facebook Spotify Timeline. Ele mostra a história da música vai voltar mais de 1.000 anos. É uma execução muito inteligente para uma empresa nova, sem um monte de história pessoal para encher uma linha de tempo integral.

Timeline também dá admins página várias maneiras de mostrar o conteúdo. Além da foto da capa, os administradores também podem "fixar" uma história para o topo da sua linha do tempo para até sete dias, ou "estrela", uma história para fazê-lo expandir por toda a largura do seu cronograma. Entre a foto da capa e estrelou e derrotou o conteúdo em seu cronograma, as empresas têm agora três maneiras principais para apresentar o conteúdo em suas páginas da marca no Facebook.

5. Painel de administração aprimorada

Parte da mudança para Timeline inclui uma moderação maior e painel admin. Em vez de ter de puxar para cima uma página separada ou ferramenta, a interface de administração nova está no topo da sua página de Facebook da marca e dá-lhe acesso a notificações (comentários e gosta de seu conteúdo), gostos novos (novas pessoas que gostavam de sua marca página), insights (gráfico de linha mostrando como usuários do Facebook envolvido com o seu conteúdo), e as mensagens privadas (mensagens diretas). Muitas marcas vai encontrar a ferramenta nova mensagem valiosa. Fãs já não têm de divulgar informação através da publicação na parede da sua página de marca. Eles agora podem iniciar uma conversa privada com os administradores da página, enviando-lhes mensagens diretas.

Com esses novos recursos avançados, os representantes de marcas terão de repensar algumas de suas táticas planejadas para o marketing do Facebook que eles possam ter tido no local para este ano. Ao colocar um maior foco no conteúdo, você vai ver menos "gating-like" campanhas e mais campanhas de conteúdo-driven marketing que irá alavancar marcas para se conectar com seus consumidores.

Jon Accarrino é diretor de mídia social para Definição 6 .

5 lições que lideres podem tirar do filme “O Poderoso Chefão”

Assisti este filme e percebi que ele é repleto de ensinamentos sobre como CEOs devem gerenciar seus negócios

Nada de mortes, cabeças de cavalo ou tiros de metralhadora. O filme "O Poderoso Chefão", de Francis Ford Coppola, é recheado de dicas de gerenciamento de empresas para CEOs.

Percebi que a família Corleone dá ótimas dicas para comandar um negócio: "Eu certamente não aprovo o crime ou a violência, e não estou sugerindo que negócios devem ser operados como a máfia. Mas, há alguns temas universais no filme que eu posso relacionar com um CEO".

A primeira dica do filme é sobre construir fortes comunidades. Vito Corleone diz que "algum dia – e esse dia pode nunca chegar -, eu o chamarei para fazer um serviço para mim". Essas palavras mostram que é muito importante ter uma rede de relacionamentos. Moore explica que Vito criou uma rede de influências e relacionamentos ao garantir favores e ajudar pessoas.

Criar parcerias estratégicas permite que empresas trabalhem em mercados desafiadores e como um representante, parte de meu trabalho é ser um superconector, criando redes entre a comunidade diversas ligando interesses aos interessados.

O mesmo Vito também diz: "Qual o problema com você? Acho que seu cérebro está ficando mole". E, nesse caso, o filme faz lembrar que tem horas que precisamos ser duros. E, manter pessoas responsáveis do seu lado também ajuda. "Assim como Vito permitiu alguns momentos de fraqueza, tentaram assasiná-lo. E, em grande parte, foi por causa de falhas em sua equipe" nunca podemos dar esse mole, seja firme ou te tiram do mercado.

(O Poderoso Chefão, de Francis Coppola, lançado em 1972)

para ter sucesso nos negócios você precisa ser duro e ser extremamente focado em atingir metas e resultados. Isso quer dizer que ter muita tolerância com pessoas ou produtos que mostram baixa performance só dificulta tudo. Você é totalmente responsável por todos os seus colaboradores.

Já Michael Corleone nos ensina a não nos emocionarmos, com a frase "Não é pessoal, Sonny. São apenas negócios". muitos não conseguem lidar com o fato de que, nos negócios, há perdedores e vencedores. Nos negócios, se você perder a oportunidade de ultrapassar seus competidores, eles tirarão você do mercado.

não devemos fazer nada que ultrapasse os limites da moralidade ou dos direitos, mas sim que, para ter sucesso, precisamos colocar de lado nossas emoções e nossos egos, porque, quando isso não acontece, tomamos más decisões. Temos que estar sempre um passo a frente de nossos concorrentes e jogar para vencer.

Ser decisivo é ponto-chave. Quando vejo "O Poderoso Chefão" dois sentimentos emergem em mim. O primeiro é o choque, "porque [Don Corleone] é tão impiedoso que mata um membro de sua própria família". O outro é o respeito "para o fato que de Don sabe exatamente o que quer, executa de forma decisiva e comanda através de um respeito inabalável".

Você não precisa matar alguém para provar seu ponto de vista, mas, sempre saber que decisão tomar ajuda muito. É preciso saber quem no seu time está tomando decisões corretas e confiar nele para que tome ações decisivas, hesitar é perder oportunidades.

Vito Corleone também diz: "Você passa tempo com sua família? Porque um homem que não passa tempo com sua família não é um homem real". Muitos empresários passam 100 horas semanais trabalhando, mas isso acaba se tornando algo negativo para a vida do executivo e também para a empresa.

Um líder não pode solucionar problemas de forma criativa e nem tomar excelentes decisões sem estar conectado com pessoas ou paixões de fora do trabalho. passar tempo com a família e com os amigos dá a perspectiva necessária para construir relacionamentos e tomar ações decisivas para continuar no rumo do sucesso.

Pense a respeito e segue a dica: trilogia de O Poderoso Chefão.

Ei Você!

Ei você que diz que é evangélico e acredita que é filho de Deus, você que se apoia na bíblia e se orgulha de saber de Deus.

Você conhece a vontade de Deus e aprova o que é superior, porque você conhece a bíblia sagrada, você esta convencido que é guia de cegos, luz pra os que estão em trevas, instrutor de insensatos, mestre de crianças porque tem na bíblia sagrada a expressão do conhecimento e a verdade, e então? Você que é evangélico que ensina os outros não ensina a si mesmo? Você que prega contra o furto, furta? Você que diz que não se deve adulterar, adultera? Você que detesta ídolos rouba-lhes os templos? Você que se orgulha da bíblia sagrada desonra a Deus desobedecendo aquilo que você sabe que a bíblia diz?

Olha ser batizado nas aguas e fazer parte de uma igreja evangélica, só tem valor se você obedece a bíblia, mas se você desobedece a bíblia, o seu batismo nas aguas e o fato de você ser membro de uma igreja evangélica é como se você não fosse batizado e como se você não fosse de igreja nenhuma.

Se aqueles que não são evangélicos e nem batizados obedecem aos preceitos da bíblia não serão eles considerados como se tivessem sidos batizados e como se fossem evangélicos?

Aquele que não é batizado fisicamente, nunca desceu as aguas do batismo, mas obedece a bíblia vai acabar condenando você seu “evangélico”, que conhecendo a bíblia e tendo sido batizado nas aguas é um transgressor da bíblia.

Quero dizer pra você, que não é filho de deus e que é evangélico necessariamente, ou que quem é evangélico não é necessariamente filho de deus ou que quem foi batizado nas aguas não é necessariamente filho de Deus. Por que esse batismo nas aguas e essa presença ou essa participação numa igreja evangélica e uma questão exterior e física, não isso ai não tem muito valor necessariamente.

Filho de Deus é aquele que o é interiormente e que passou por um batismo Espiritual promovido pelo Espirito Santo e esse ai só Deus mesmo é quem sabe quem é.

Baseado em Romanos 2:17

Riqueza em forma de felicidade

Por Guilherme Mazui

Um pequeno reino encrustado na cordilheira do Himalaia vê o dinheiro como coadjuvante. No Butão, o importante é ser feliz. Tanto que o país trocou o conceito de Produto Interno Bruto (PIB) pelo de Felicidade Interna Bruta (FIB). O exemplo integra os esforços para que o mundo adote índices menos materialistas e mais sustentáveis para avaliar o seu desenvolvimento.

A ideia do Butão não é nova — está em vigor desde os anos 70 —, mas continua atual. A Organização das Nações Unidas (ONU) lidera uma discussão para encontrar um modelo capaz de aprimorar o PIB (a soma das riquezas de um país, Estado ou cidade) e o IDH, o Índice de Desenvolvimento Humano, que engloba economia, expectativa de vida e educação.

— Estamos acostumados com avaliações que não contemplam os interesses das pessoas e a sustentabilidade — diz o doutor em Ciências Econômicas pela Escola Central de Planejamento e Estatística de Varsóvia (Polônia), Ladislau Dowbor.

Ex-professor da Universidade de Coimbra e consultor de agências da ONU, Dowbor considera o PIB uma “contabilidade clamorosamente deformada” e sente falta no IDH de temas como segurança e meio ambiente.

— São Paulo é uma cidade com mais de 7 milhões de veículos. Para o PIB é bom, vende carro, aquece a economia, mas polui e prejudica a mobilidade. Outro exemplo: em um desastre ambiental, o recurso gasto na recuperação eleva o PIB — completa Dowbor, que leciona na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

O Brasil é um bom exemplo para apontar a necessidade de novos indicadores. É o que deixa claro o questionamento de Mauricio Broinzini Pereira, coordenador-executivo da Rede Nossa São Paulo, movimento que promove análises mais abrangentes de São Paulo.

— O Brasil é a sexta economia do mundo, mas qual é a nossa qualidade de vida?

O cerne desta questão fez a França iniciar em 2008 um trabalho de revisão dos seus indicadores, baseada no relatório da Comissão Stiglitz, feito a pedido do presidente Nicolas Sarkozy. Liderado pelo americano Joseph Stiglitz, Nobel de Economia, o grupo referendou a necessidade de casar economia, ambiente, bem-estar e qualidade de vida nas estatísticas que apontam o desenvolvimento nacional.

Os ensinamentos do relatório Stiglitz e outras práticas adotadas pelo mundo serão discutidos nesse ano pela ONU para acelerar a criação dos novos índices, movimento que pode ter a ajuda da Rio+20, prevista para junho. Rever as estatísticas está no caminho da economia verde.

Até o momento, pelo conceito e efeito prático na vida da população, o modelo do Butão se assemelha mais ao que a ONU procura. País de PIB reduzido, é o lar de 700 mil pessoas que vivem com baixos índices de analfabetismo, miséria e fome. O FIB adotado pelo reino asiático leva em conta nove itens. Cultura, educação, saúde, uso do tempo, padrão de vida e ambiente integram o grupo (confira abaixo), que ainda envolve um aspecto chamado “bem-estar psicológico”. Explica o consultor empresarial Vicente Gomes, especializado em FIB:

— É o que os cientistas tratam por felicidade. Avalia a satisfação do cidadão sobre sua própria vida. O FIB coloca o homem no centro da avaliação.

Entenda o FIB

O conceito de Felicidade Interna Bruta (FIB) nasceu em 1972, no Butão, elaborado pelo então rei Jigme Singye Wangchuck, com ajuda do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). O FIB entende que o objetivo de uma sociedade não pode ficar restrito ao crescimento econômico, mas deve integrar finanças e qualidade de vida. Sua avaliação é feita em cima de nove dimensões.

:: Bem-estar psicológico – Avalia o grau de satisfação e de otimismo que as pessoas têm em relação a sua própria vida. Os indicadores incluem taxas de emoções positivas e negativas, analisam a autoestima, sensação de competência, estresse e atividades espirituais.

:: Saúde – Mede a eficácia das políticas de saúde. Usa critérios como autoavaliação dos serviços oferecidos, invalidez, padrões de comportamento arriscados, exercícios, sono, nutrição etc.

:: Resiliência ecológica – Mede a percepção dos cidadãos quanto à qualidade da água, do ar, do solo e da biodiversidade. Os indicadores incluem acesso a áreas verdes, sistema de coleta de lixo etc.

:: Governança – Avalia como a população enxerga o governo, a mídia, o judiciário, o sistema eleitoral e a segurança pública em termos de responsabilidade, honestidade e transparência. Também mede a cidadania e o envolvimento dos cidadãos com as decisões e processos políticos.

:: Padrão de vida – Avalia a renda individual e familiar, a segurança financeira, a qualidade das habitações etc.

:: Uso do tempo – Apura como as pessoas dividem seu tempo. Leva em conta as horas dedicadas ao lazer e socialização com amigos e família, além de tempo no trânsito, no trabalho, nas atividades educacionais etc.

:: Vitalidade comunitária – Foca nos relacionamentos das pessoas dentro das suas comunidades. Examina o nível de confiança, a sensação de pertencimento, a vitalidade dos relacionamentos afetivos, a segurança em casa e na comunidade, além das práticas de doação e voluntariado.

:: Educação – Leva em conta fatores como participação na educação formal e informal, envolvimento na educação dos filhos, valores em educação, ambiente etc.

:: Cultura – Avalia as tradições locais, festivais, participação em eventos culturais, oportunidades das pessoas para desenvolver capacidades artísticas, além da discriminação por religião, raça ou gênero.

[Zero Hora, terça-feira, 6 de março de 2012]