Marca pessoal nada mais é do que marketing

Mas afinal o que é isto de Branding Pessoal? O nosso melhor ativo somos nós próprios, e é a isto que se pode chamar de Branding Pessoal, ou seja somos a nossa “Marca” e a forma como as outras pessoas nos consideram para efeitos de mercado e oportunidades de trabalho.

Construir uma marca pessoal significa comunicar valores, com a definição de objetivos e com os elementos de imagem bem vincados. A nossa marca (branding) é aquilo que as outras pessoas irão recordar de nós. Costuma-se dizer que não há uma segunda oportunidade para uma primeira impressão. No entanto, há sempre espaço para melhorar e mostrar o que valemos.

A sua marca pessoal é uma percepção ou emoção, que alguém desenvolve em relação à experiência de se relacionar consigo. Uma marca forte, independentemente do seu âmbito profissional ou pessoal, deve ser clara naquilo que pretende comunicar.

1. Marca Distinta

A sua marca representa ou defende algo único e específico. A sua marca pessoal revela a sua opinião, ponto de vista e perspectivas em relação a algo que tem interferência na sua vida e na vida dos seus interlocutores, sejam eles amigos, vizinhos, colegas de trabalho, superiores hierárquicos, etc.

2. Marca Relevante

Ao representar algo, uma ideia, uma opinião, a sua marca deve relacionar‐se com o que é de facto importante para os seus interlocutores. Deve, acima de tudo, sublinhar os aspectos mais importantes na comunicação da mensagem e deve trazer informação relevante e pertinente para os seus interlocutores.

3. Marca Consistente

As pessoas depositam confiança em si, na relação consigo e, consequentemente, na sua marca, se os seus comportamentos forem consistentes ao longo do tempo. Para manter consistência, a sua marca deve ser fiel aos seus valores e princípios, e estes devem manter‐se intactos na sua comunicação de marca.

4. Marca Competente

A competência da marca traduz‐se na eficácia com que o seu papel ou missão é realizado. Este nível refere‐se aos actos que desenvolve para satisfazer as expectativas dos seus interlocutores. Acontece, por vezes, que o seu papel ou missão não é único, mas sim uma combinação de vários papéis. Pode ser o vizinho e chefe ao mesmo tempo. A sua competência irá traduzir‐se na forma como desenvolve a sua missão junto das outras pessoas.

5. Padrões da Marca

Os padrões representam a forma como faz as coisas acontecerem. A sua imagem de marca deve ser específica, focando‐se nos padrões de comunicação da marca, pois estes padrões traduzem o nível de qualidade da sua performance, desenvolvida de forma consistente ao longo do tempo.

6. Estilo da Marca

O Estilo é único e pessoal e representa a forma como se relaciona com os outros, como comunica e interage com os seus interlocutores. O estilo traduz‐se na personalização das suas competências dentro do contexto dos seus padrões de performance.

7. Criar e Viver a Marca

Para que a sua marca pessoal possua os alicerces para garantir a eficácia da mensagem que pretende comunicar, experimente responder às seguintes três questões: 1)Qual é o propósito da sua marca pessoal?; 2) O que pretende criar, qual é a sua visão?; 3) Quais são os valores que irão fundamentar a sua marca pessoal?

Autor

André Bartholomeu Fernandes – escreveu posts no Jornal do Empreendedor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s