Batendo pino?

Lembra-se desse problema? Acontecia muito com os carros mais antigos. Hoje parece que já resolveram isso. Mas eu lembro bem de carros de anos atrás que tinham esse mau hábito. Quando se pisava mais fundo, forçando um pouco o motor, ele não puxava para a frente, mas ficava mais ou menos na mesma e fazia um ruído que parece uma campainha lá dentro. Quando se abusava, era até compreensível o motor reclamar, mas quando se reduzia a marcha e ele continuava batendo pino, era sinal de que estava desregulado, e se então se insistisse em continuar assim, acabaria fazendo estrago grande. Numa situação assim, quando se topa com um ladeirão pela frente e o carro vai morrendo aos poucos, fazendo aquela musiquinha em vez de levar a gente morro acima, até vale este suspiro:

“Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: de onde me virá o socorro?” ¹

A frase tem um jeito poético, mas a situação não é nada disso: na verdade, falta pouco para bater não só o pino no motor, mas o desespero na gente. Acabou-se o fôlego, e aí?

Tenho notado que às vezes nem mecânico resolve. Nesses casos, para o carro parar de bater pino, seria preciso mexer a fundo no motor, talvez mudando alguma configuração essencial. Aí, só mesmo o fabricante é que saberia o que fazer.

Pior é quando o problema não é o carro, e sim eu mesmo. Já lhe aconteceu de você “bater pino”? De você querer tocar a vida e, em vez disso, lá dentro da sua cabeça só haver barulho e o impulso acabar?

Nessa hora, não seria melhor você ter uma conversa com o fabricante, ou melhor, com o Criador, para ele arrumar sua vida antes que seja tarde? O poeta que escreveu a frase que citei aí em cima fez isso e se deu bem. Ele continua:

“O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.” ²

Mas talvez você nem esteja batendo pino. Na verdade, está tudo correndo otimamente, pelo menos até agora. No entanto, todos sabemos que, para máquinas, manutenção preventiva é melhor que consertos – e quando se trata do nosso corpo, profilaxia também é melhor que tratamento. E por que haveria de ser diferente com o espírito? No mais, nem sempre o motor bate pino avisando. Já fundi uma vez o motor de um carro sem aviso prévio, em plena estrada, longe de tudo.

“Quando disserem: ‘Paz e segurança’, a destruição virá sobre eles de repente, como as dores de parto à mulher grávida; e de modo nenhum escaparão.” ³

Mas ainda há uma objeção, eu sei: Quanto custa isso? Não sai muito caro?

Sai, sim.

Colocar a nossa vida dentro das “especificações do fabricante” sai tão caro que nem eu nem você nem ninguém consegue pagar o preço.

Por isso, muita gente continua batendo pino e forçando a situação, torcendo para que, mal ou bem, acabe chegando ao destino.

Acho que não sabem que esse problema do preço já foi resolvido:

“Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” ­4

Depois disso, seu único ônus para restaurar completamente a vida é reconhecer que você precisa da restauração e deixar que o Criador mexa nela à moda dele.

Ou você prefere continuar batendo pino e talvez ficar na estrada? A troco de quê?

Referências da Bíblia: ¹ Salmo 121.1; ² Salmo 121:2; ³ I Tessalonicenses 5.13; 4 João 3.16

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s